Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

Pentágono inspeciona área na Polônia para a nova base militar, relata Mattis

Militares do Exército dos EUA estão examinando a região disponível na Polônia para a instalação de sua nova base militar, relatou a repórteres o secretário de Defesa norte-americano, James Mattis.


Sputnik

Na semana passada, o presidente americano Donald Trump disse, durante uma reunião com seu homólogo polonês Andrzej Duda, que os Estados Unidos estavam considerando o pedido de Varsóvia para estabelecer uma base no país europeu. Duda propôs até mesmo que a base fosse denominada Fort Trump (Forte Trump, em português), o que acabou gerando polêmica.

Cerimônia oficial de boas-vindas às tropas dos EUA em Zagan, Polônia, em 12 de janeiro de 2017
Cerimônia de boas vindas às tropas dos EUA à Polônia © AP Photo / Czarek Sokolowski

"Estamos determinando […] as capacidades do que está sendo oferecido", disse Mattis, adicionando que está na etapa exploratória e que ainda não foi tomada nenhuma decisão.

Em relação a isso, o presidente polonês ofereceu mais de US$ 2 bilhões (R$ 8,1 bilhões) para a construção da instalação militar.

Segundo o secretário de Defesa americano, as autoridades americanas estão avaliando a capacidade de infraestrutura e da Polônia para atender os requisitos de manutenção, voos de teste e campos de tiro.

Além disso, ele declarou que Washington valoriza a oferta do governo polonês, mas os Estados Unidos vão consultar seus parceiros regionais antes de tomar uma decisão final sobre a questão.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas