Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa russa: avião Il-20 foi derrubado por mísseis sírios S-200

De acordo com o ministério russo, o sistema de defesa aérea sírio tentava atacar um avião de Israel. No entanto, a tripulação israelense fez uma manobra especial para se proteger, e o míssil acabou atingindo acidentalmente o avião russo Il-20.
Sputnik

O avião Il-20 desapareceu dos radares em 17 de setembro, por volta das 23h do horário de Moscou, (17h em Brasília) durante o retorno planejado à base aérea de Hmeymim, acima do território do mar Mediterrâneo, a 35 quilômetros da costa da Síria, informou o comunicado do Ministério da Defesa da Rússia. O represente oficial da Defesa russa, Igor Konashenkov sublinhou que os aviões israelenses "propositalmente criaram uma situação perigosa para navios e aviões nessa região".

Na opinião dele, para evitar o ataque sírio, a tripulação israelense acabou tornando o Ilyushin-20 alvo de ataque.

"Ao tentarem proteger-se com ajuda do avião russo, os pilotos israelenses o puseram debaixo de fogo do sistema de defesa antiaérea da Síria"…

Por que Marinha russa não precisa de porta-helicópteros?

A Rússia é capaz de construir porta-helicópteros, mas sua utilização pela Marinha do país tem desvantagens, acredita o ex-comandante da Frota do Báltico russa, almirante Vladimir Valuev.


Sputnik

O comentário vem após o ministro da Indústria e Comércio da Rússia, Denis Manturov, ter dito que os produtores russos podem construir porta-helicópteros e estão prontos a vendê-los a clientes estrangeiros caso haja interesse.

Porta-helicópteros Vladivostok, da classe Mistral
Porta-helicópteros Vladivostok, da Classe Mistral © AP Photo / Laetitia Notarianni

Porém, o ex-comandante Valuev duvida que a Rússia precise deste tipo de navios.

"Nossa indústria naval é capaz de produzir qualquer tipo de navios. Mas a necessidade de construir navios de superfície ou submarinos deve ser argumentada pela doutrina de cada país. Após considerar todos os prós e contras, nossas autoridades militares chegaram à conclusão de que a construção de porta-helicópteros para a Marinha russa é pouco prática, pois suas funções [de porta-helicópteros] duplicariam as de outras armas, incluindo navios de desembarque", detalhou o almirante.

Valuev também ressaltou que, nas condições atuais, quando possíveis adversários da Rússia possuem armas de alta precisão, porta-helicópteros acabam sendo um "alvo flutuante".

"Neste caso, um porta-helicópteros dura poucas horas, sendo o alvo principal dos mísseis inimigos", sublinhou.

Mesmo assim, o militar concordou com o ministro da Indústria e Comércio que os estaleiros russos têm todas as competências para construir tais navios para exportação.

Antes, a Rússia planejava comprar porta-helicópteros à França. O acordo de venda de dois navios Mistral foi firmado em 2011, mas em 2015 as partes decidiram rescindir o contrato devido às sanções antirrussas.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas