Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

Por que radares russos detectam caças 'invisíveis' estadunidenses?

Os caças furtivos norte-americanos podem ser detectados por radares antiaéreos russos. Especialista militar explica por que os sistemas russos podem "ver" os chamados "aviões invisíveis".


Sputnik

Os modernos radares russos estão equipados com sistemas eletrônicos ativos, disse o analista Aleskei Leonkov ao canal russo Zvezda. Isso permite não apenas aumentar a potência e a sensibilidade do equipamento, mas também torná-lo capaz de detectar vários alvos e processar sinais para eliminar interferências.

Caça norte-americano F-22 equipado com tecnologia stealth
F-22 Raptor dos EUA © AFP 2018 / JUNG YEON-JE

"A característica mais importante desses radares é a capacidade de controlar a área em diferentes bandas de frequência ao mesmo tempo", disse o especialista.

Ou seja, as aeronaves furtivas dos EUA são projetadas para serem invulneráveis aos radares mais modernos terrestres e instalados em aviões, que usam a banda X do espectro eletromagnético. Por sua vez, os radares mais antigos usavam a frequência de rádio de banda L.

Agora, na Rússia, há também radares que usam ambas as bandas e, portanto, alguns radares registram facilmente aeronaves "invisíveis".

Além disso, os radares russos são equipados com sistemas optoeletrônicos. Portanto, eles ainda podem detectar alvos quer na faixa ótica visível, quer no espectro infravermelho e ultravioleta.

"A informação de que os russos não têm problemas em detectar os aviões furtivos no céu pegou os americanos de surpresa, eles já fabricaram 195 unidades do F-22, 21 bombardeiros B-2 e 305 caças F-35, gastando no total mais de US$ 170 bilhões (R$ 689 bilhões) ", resumiu Leonkov.

Ademais, o analista acrescentou que os sistemas de defesa russos também podem identificar tanques e embarcações furtivos estadunidenses.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas