Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Executiva da Huawei deixa a prisão após pagar fiança no Canadá; ex-diplomata canadense é preso na China

Justiça aceitou pedido da chinesa, que foi detida a pedido dos Estados Unidos e corria risco de extradição. Fiança estipulada fixada em US$ 7,5 milhões.
Por G1

A diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, foi solta nesta quarta-feira (12) depois de passar 11 dias presa no Canadá.

A executiva teve aceito o pedido de liberdade condicional, por um juiz canadense. O valor da fiança foi fixado em 10 milhões de dólares canadenses (US$ 7,5 milhões).

Meng saiu da prisão poucas horas depois da ordem do juiz, informou o canal Global News.

"O risco de que não se apresente perante o tribunal (para uma audiência de extradição) pode ser reduzido a um nível aceitável, impondo as condições de fiança propostas por seu assessor", disse o juiz, aplaudido na sala do tribunal pelos partidários da empresa chinesa, informa a France Presse.

As condições de libertação incluem a entrega de seus dois passaportes, que permaneça em uma de suas residências de Vancouver e use tornozeleira eletrônica. Além dis…

Por que radares russos detectam caças 'invisíveis' estadunidenses?

Os caças furtivos norte-americanos podem ser detectados por radares antiaéreos russos. Especialista militar explica por que os sistemas russos podem "ver" os chamados "aviões invisíveis".


Sputnik

Os modernos radares russos estão equipados com sistemas eletrônicos ativos, disse o analista Aleskei Leonkov ao canal russo Zvezda. Isso permite não apenas aumentar a potência e a sensibilidade do equipamento, mas também torná-lo capaz de detectar vários alvos e processar sinais para eliminar interferências.

Caça norte-americano F-22 equipado com tecnologia stealth
F-22 Raptor dos EUA © AFP 2018 / JUNG YEON-JE

"A característica mais importante desses radares é a capacidade de controlar a área em diferentes bandas de frequência ao mesmo tempo", disse o especialista.

Ou seja, as aeronaves furtivas dos EUA são projetadas para serem invulneráveis aos radares mais modernos terrestres e instalados em aviões, que usam a banda X do espectro eletromagnético. Por sua vez, os radares mais antigos usavam a frequência de rádio de banda L.

Agora, na Rússia, há também radares que usam ambas as bandas e, portanto, alguns radares registram facilmente aeronaves "invisíveis".

Além disso, os radares russos são equipados com sistemas optoeletrônicos. Portanto, eles ainda podem detectar alvos quer na faixa ótica visível, quer no espectro infravermelho e ultravioleta.

"A informação de que os russos não têm problemas em detectar os aviões furtivos no céu pegou os americanos de surpresa, eles já fabricaram 195 unidades do F-22, 21 bombardeiros B-2 e 305 caças F-35, gastando no total mais de US$ 170 bilhões (R$ 689 bilhões) ", resumiu Leonkov.

Ademais, o analista acrescentou que os sistemas de defesa russos também podem identificar tanques e embarcações furtivos estadunidenses.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas