Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

'Presença russa na Síria é um desafio', diz chefe da inteligência aérea de Israel

O chefe da inteligência aérea israelense concedeu uma entrevista dias antes da derrubada do avião russo Il-20, em que comentou os desafios da presença russa na Síria.


Sputnik

As autoridades israelenses ordenaram que o chefe da Força Aérea continuasse o diálogo com os militares russos após a derrubada do caça russo Il-20 na Síria. A Defesa de Israel continua a atribuir a responsabilidade à Síria.

Resultado de imagem para Uri Oron
Uri Oron | Reprodução

O chefe da Inteligência Aérea israelense, Uri Oron, concedeu uma entrevista à agência Haaretz alguns dias antes da derrubada da aeronave. O alto funcionário admitiu que a presença russa na Síria desafiava Israel, mas não prejudicava suas atividades.

"A presença russa restringe a atividade da Força Aérea de Israel? Ela nos desafia: Temos que ser muito precisos. No entanto, isso não significa que as aeronaves apenas possam voar sobre Israel", disse ele.

O militar também reconheceu que a presença russa na Síria é um dos fatores cruciais que determina a situação na região. Oron acrescentou que, antes da intervenção russa, todos tinham certeza de que o grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia e em uma série de países) se espalharia por todo o país.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas