Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Fuzileiros Navais do Brasil e dos EUA ratificam acordo de cooperação

Diálogo conversou com o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil (MB) Nélio de Almeida para conhecer detalhes dessa parceria
Por Marcos Ommati | Diálogo Américas | Poder Naval

Criar mais oportunidades de intercâmbio de conhecimento e treinamento combinado entre os Fuzileiros Navais do Brasil e dos Estados Unidos. Este é o objetivo principal de um plano de cinco anos ratificado em fevereiro de 2019 entre os representantes de ambas as forças, o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil Nélio de Almeida, comandante do Desenvolvimento Doutrinário do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) do Brasil e presidente nacional da Associação de Veteranos desta força, e o Contra-Almirante Michael F. Fahey III, comandante do Corpo de Fuzileiros Navais Sul dos EUA (MARFORSOUTH, em inglês). O C Alte Nélio recebeu Diálogo em seu escritório na Ilha do Governador, Rio de Janeiro, para dar detalhes do acordo e conversar sobre outros temas de interesse das marinhas do Brasil e de outros países da região e dos E…

Raríssimo obuseiro autopropulsado é destruído na Líbia

Confrontos violentos entre grupos rivais na capital da Líbia, Trípoli, envolveram obuseiros autopropulsados Palmaria de 155 mm. Um desses veículos foi atingido e acabou pegando fogo. Na Internet surgiram fotos do armamento depois de ser engolido pelas chamas.


Sputnik

Durante o governo de Muammar Kadhafi o país adquiria armas tanto de países do campo soviético, como de países ocidentais, além de outros países com uma indústria de defesa desenvolvida.



Sendo assim, entre diferentes peças de artilharia autopropulsada, o exército líbio possuía ShKH vz. 77 DANA checoslovacas e 2S1 Gvozdika e 2S3 Akatsiya soviéticas. Quanto ao Palmaria, a Líbia era o maior comprador desta arma elaborada pela empresa italiana OTO Melara. Desde o início dos 80, o país comprou cerca de 150 obuseiros italianos.

O Palmaria foi executado sobre um chassi do tanque italiano OF-40, sendo destinada exclusivamente a exportação. Nos anos 80, era considerado um dos melhores obuseiros autopropulsados ocidentais.

O alcance de tiro do Palmaria com uma carga explosiva cumulativa atinge 24 km, com uma ativa-reativa – 30 km. Com um motor de 750 cavalos, o obuseiro pode atingir uma velocidade até 60 km/h, tendo autonomia para 500 km. O peso do obuseiro é de 46 toneladas. A tripulação é constituída por 5 homens.

Além da Líbia, o exército da Nigéria também adquiriu cerca de 40 peças Palmaria. A Argentina comprou 25 torres do obuseiro para montá-las sobre chassis modernizados do tanque TAM de produção nacional.

Os obuseiros Palmaria foram usados ativamente durante a Guerra Civil na Líbia em 2011, tendo sofrido grandes perdas com os ataques da OTAN. Agora, segundo o analista militar, Yuri Lyamin, citado pelo portal Russkoe Oruzhie, em todo o mundo o número de obuseiros Palmaria não supera os 30 veículos. Os que restaram são utilizados somente na área de Trípoli.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas