Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Executiva da Huawei deixa a prisão após pagar fiança no Canadá; ex-diplomata canadense é preso na China

Justiça aceitou pedido da chinesa, que foi detida a pedido dos Estados Unidos e corria risco de extradição. Fiança estipulada fixada em US$ 7,5 milhões.
Por G1

A diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, foi solta nesta quarta-feira (12) depois de passar 11 dias presa no Canadá.

A executiva teve aceito o pedido de liberdade condicional, por um juiz canadense. O valor da fiança foi fixado em 10 milhões de dólares canadenses (US$ 7,5 milhões).

Meng saiu da prisão poucas horas depois da ordem do juiz, informou o canal Global News.

"O risco de que não se apresente perante o tribunal (para uma audiência de extradição) pode ser reduzido a um nível aceitável, impondo as condições de fiança propostas por seu assessor", disse o juiz, aplaudido na sala do tribunal pelos partidários da empresa chinesa, informa a France Presse.

As condições de libertação incluem a entrega de seus dois passaportes, que permaneça em uma de suas residências de Vancouver e use tornozeleira eletrônica. Além dis…

Reino Unido deslocará 800 militares para a Noruega

No âmbito de nova estratégia para o Ártico, o Reino Unido deslocará no próximo ano para a Noruega 800 fuzileiros navais e efetivos das tropas especiais, comunicou o ministro britânico da Defesa, Gavin Williamson.


Sputnik

Em entrevista ao jornal The Telegraph, Williamson sublinhou que esta medida de Londres faz parte da nova estratégia que deve permitir ao Reino Unido vigiar, de maneira eficaz, as atividades dos submarinos russos. Ademais, o plano supõe que as forças britânicas serão capazes de responder rapidamente a qualquer ameaça.

Fuzileiros navais de vários países participam de exercícios militares na Noruega
CC BY 2.0 / Departamento de Defesa dos EUA

Em particular, para cumprir essa tarefa, os militares britânicos planejam usar seu avião P-8 Poseidon.

"Vemos que o nível da atividade dos submarinos russos é muito próximo do da Guerra Fria, e será correto se reagirmos a isso", afirmou.

Ao mesmo tempo, o ministro destacou que a ameaça proveniente dos submarinos no Extremo Norte e no Atlântico do Norte "realmente voltou ao primeiro plano".

Está previsto no âmbito da nova estratégia que os militares britânicos deslocados na Noruega cooperem com as Forças Armadas norueguesas, bem como com a infantaria naval dos EUA e da Holanda.

Recentemente, o ministro britânico da Defesa também frisou que os caças-bombardeiros F-35B conseguiram pela primeira vez na história pousar no convés do porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth. De acordo com ele, tal resultado demonstra o "renascimento da força" britânica e mostra que o país é capaz de efetuar "ataques decisivos a partir do mar" em qualquer parte do mundo.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas