Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Rússia diz relações com Israel estão prejudicadas após avião ser derrubado

O Kremlin afirmou nesta segunda-feira que as relações entre Rússia e Israel ficaram prejudicadas, depois que o avião russo Il-20 foi derrubado na Síria, com 15 militares a bordo, em um ataque aéreo israelense contra instalações sírias.


EFE

Moscou - "De acordo com os nossos especialistas militares, essa tragédia foi causada por ações premeditadas de pilotos israelenses, o que sem dúvida não pode prejudicar as relações russo-israelenses", disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, aos jornalistas.

Dmitry Peskov, porta-voz do Kremlin. EFE/Sergei Karpukhin
Dmitry Peskov, porta-voz do Kremlin. EFE/Sergei Karpukhin

O caso aconteceu na semana passada. Segundo a Rússia, caças israelenses usaram o Il-20 como escudo, o que obrigou o governo a tomar a decisão de enviar à Síria o sistema com mísseis antiaéreos S-300, acrescentou Peskov.

Mais cedo, o ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu, anunciou em comunicado que os S-300, capazes de interceptar simultaneamente vários alvos e com alcance de até 250 quilômetros, serão entregues às forças sírias em um prazo de duas semanas.

"A Rússia, neste assunto, se guia exclusivamente por seus próprios interesses. Isto não é contra países terceiros, mas em defesa dos nossos militares", explicou Peskov.

Shoigu deixou claro que a decisão de fornecer mísseis antiaéreos aos militares é uma resposta ao ataque israelense que provocou a queda acidental do avião militar russo.

Peskov, por sua vez, repetiu as palavras do presidente da Rússia, Vladimir Putin, que no dia do incidente se referiu a uma "trágica cadeia de coincidências", mas ressaltou que a situação foi "favorecida por ações premeditadas dos pilotos israelenses".

"O avião, graças a Deus, não foi derrubado por um míssil israelense. Mas essa cadeia de coincidências foi provocada por ações premeditadas dos pilotos israelenses. E os dados levantados por nossos especialistas militares demonstram isso", afirmou o porta-voz do Kremlin.

Ontem, o Ministério de Defesa da Rússia responsabilizou Israel pela queda do Il-20 no último dia 17. O porta-voz da pasta, o general Igor Konashenkov, qualificou de "falta de profissionalismo" e "negligência criminosa" a atuação dos pilotos israelenses e disse que eles usaram a aeronave russa como escudo contra a defesa antiaérea síria.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas