Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

Rússia revela ter ainda mais evidências sobre o incidente do Il-20, diz governo russo

O Ministério da Defesa da Rússia tem mais evidências para dar suporte aos materiais apresentados no domingo (23) em um comunicado sobre a derrubada do jato militar Il-20 russo na Síria, disse porta-voz do ministério, Maj. Igor Konashenkov disse.


Sputnik

"Gostaria de abordar aqueles que tentariam falsear ou refutar as informações apresentadas. O Ministério da Defesa da Rússia também tem outros dados convincentes sobre a tragédia de 17 de setembro, que provam os materiais apresentados no comunicado", destacou Konashenkov, sem detalhar o tipo de evidência em posse do Ministério.

Resultado de imagem para Igor Konashenkov
Igor Konashenkov | Reprodução

O porta-voz do Ministério da Defesa russo ainda acrescentou que o lado russo também usou os materiais fornecidos pelo lado israelense na preparação dos dados do comunicado.

"A cronologia por minuto da catástrofe do Il-20 e as ações da aviação israelense em 17 de setembro apresentadas no comunicado são baseadas nos dados do controle objetivo do espaço aéreo de vários radares na Síria", afirmou Konashenkov.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas