Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

Será possível uma aliança militar entre Rússia, China e Japão?

O Japão quer participar das manobras militares Vostok 2019 juntamente com a Rússia e a China. Trata-se da criação de uma aliança militar dos três países, opina o especialista em ciências políticas e relações russo-japonesas Itsuro Nakamura, professor da Universidade de Tsukuba.


Sputnik

Ele expressou tal opinião em conversa com a Sputnik após o encontro dos líderes russo e japonês em Vladivostok. O presidente da Rússia Vladimir Putin destacou, no decorrer do encontro com o primeiro-ministro do Japão Shinzo Abe na quarta-feira (12), que as relações entre os países se desenvolvem progressivamente e que "pela primeira vez, isso está ligado também à interação entre nossos departamentos militares".

O primeiro-ministro japonês Shindzo Abe e o presidente russo Vladimir Putin apertam as mãos durante o fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico em Pequim, China, 4 de novembro de 2014
Shinzo Abe e Vladimir Putin © AFP 2018 / MIKHAIL KLIMENTYEV

"Agora estão decorrendo os exercícios militares da Rússia e da China na Sibéria e no Extremo Oriente. No futuro próximo, o Japão também está se preparando para participar. Esta é a maior notícia do fórum", considera o cientista.

Ele opina que essa questão estava na agenda do encontro dos líderes da Rússia e do Japão no âmbito do Fórum Econômico do Oriente, que tem lugar nesses dias em Vladivostok.

"Em junho do ano passado no Cazaquistão, os ministros da Defesa da China e da Rússia chegaram a acordo sobre a cooperação militar. A consequência desse acordo foram os exercícios militares conjuntos, que estão acontecendo simultaneamente com o Fórum", lembrou o especialista.

Nakamura não considera casual o fato de que ambos os eventos têm lugar ao mesmo tempo. Para ele, isso mostra que o fórum, apesar de ser econômico, tem um contexto militar também. O especialista associa a visita do representante militar japonês à Rússia, planejada para outubro, com o desejo do Japão de participar das futuras manobras.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas