Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Tensão entre China e EUA dá sinais no setor militar

A deterioração da relação entre os EUA e a China, vista principalmente nas disputas comerciais entre os dois países pode estar chegando também na atividade militar.


Sputnik

Nesta terça-feira (25), o Pentágono confirmou que a China cancelou uma visita a Washington que seria feita pelo líder da Marinha chinesa. Além disse, oficiais norte-americanos afirmaram que a China negou um pedido de um navio dos EUA para visitar um porto em Hong Kong.

Militares das Forças Armadas da China no polígono de Alabino na região de Moscou, preparando-se para os Jogos Internacionais de Exército 2015.
Tropas chinesas © Sputnik / Iliya Pitalev

Ainda nesta terça-feira (25), a China exigiu que os EUA cancelassem uma venda de equipamentos militares no valor de US$ 330 milhões a Taiwan, a ilha autônoma que Pequim considera uma província renegada.

O Ministério das Relações Exteriores da China alertou para um "dano severo" nas relações bilaterais e na cooperação entre os países caso a venda, anunciada na segunda-feira (24) seja confirmada

O pano de fundo para esse aumento nas tensões entre os países é a disputa comercial que se estabeleceu entre a China e os EUA neste ano da administração de Donald Trump, que vem impondo uma série de tarifas aos produtos importados chineses. A cada nova imposição de tarifa, o que também tem sido feito pela China em forma de retaliação, cresce ainda mais a tensão entre os países.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas