Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Erdogan: Rússia e Turquia decidirão que grupos deixarão zona de Idlib

Rússia e Turquia irão determinar em conjunto quais grupos radicais deverão deixar o território da zona desmilitarizada de Idlib, na Síria, segundo afirmou o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, neste domingo.
Sputnik

"Durante negociações sobre Idlib em Sochi, nós decidimos estabelecer uma zona desmilitarizada entre os territórios controlados pela oposição e pelo regime. A oposição permanecerá nos territórios que ela ocupa. Vamos garantir que os grupos radicais, designados em conjunto com a Rússia, não operem na região", disse Erdogan em artigo publicado pelo jornal russo Kommersant

Ainda de acordo com o líder turco, Washington segue atrapalhando o equilíbrio na região com seu apoio às Unidades de Proteção do Povo Curdo (YPG) e ao Partido da União Democrática (PYD) na Síria, considerados adversários de Ancara.

"Infelizmente, vemos que o apoio extraordinário que tem sido prestado recentemente, especialmente pelos Estados Unidos, às forças do YPG e do PYD, continua. Tais …

Turquia estaria deslocando armamentos para fronteira com Síria

Os militares turcos estão deslocando equipamentos militares para a fronteira com a Síria, segundo o jornal Hurriyet.


Sputnik

Oito veículos transportando tanques e obuseiros passaram esta manhã pela cidade de Kilis em direção a Elbeyli, na fronteira com a Síria.

Tanques turcos perto da fronteira com a Síria, Turquia (foto de arquivo)
Tanques turcos na fronteira com a Síria © AFP 2018 / BULENT KILIC

Segundo uma fonte militar citada pelo jornal, a deslocação de equipamentos é uma medida de segurança. Os tanques M60 foram enviados para a fronteira como parte de um plano para conter uma nova onda de refugiados, que as autoridades turcas esperam caso as tropas sírias ataquem Idlib.

Além disso, a Turquia expandiu o campo de refugiados de Atme, no lado sírio da fronteira, e fortaleceu 12 postos de observação para monitorar a zona de desescalada em Idlib.

A província de Idlib, no norte da Síria, continua sendo a única região controlada pelos grupos armados radicais. Anteriormente, nesta província foi criada uma zona de desescalada do conflito.

Recentemente, a situação na região tornou-se mais tensa. Segundo o Ministério da Defesa russo, os terroristas do grupo Tahrir al-Sham (proibido na Rússia) planejam uma provocação em Idlib para acusar as tropas de Bashar Assad de usar armas químicas contra civis e justificar posteriormente um ataque externo contra o país.

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse que a possível ofensiva do Exército sírio em Idlib seria um "grave erro humanitário". Ao mesmo tempo, o Ministério das Relações Exteriores da Rússia enfatizou que ninguém está interessado em ações militares, que podem resultar em vítimas em massa.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas