Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil simula resgate de civis em área de conflito ou desastre natural (VÍDEO)

A Marinha do Brasil realizou entre os dias 6 e 14 de novembro a Operação Atlântico, na praia de Itaoca, no Espírito Santo. A simulação deste ano treinou os oficiais para casos em que houvesse resgate de civis em uma área de conflito armado ou que foram alvos de desastres naturais.
Sputnik

Era por volta de 5h40 do dia 10 de novembro, um sábado, ainda estava amanhecendo, quando o Almirante Paulo Martinho Zucaro, Comandante da Força de Fuzileiros da Esquadra, olhou e disse para a reportagem da Sputnik Brasil: "É guerra".


A declaração foi dada para explicar os motivos de se realizar um treinamento deste porte mesmo em condições extremamente desfavoráveis. A chuva era forte, as ondas na beira da praia atingiam 1,5 metros e os ventos chegaram a 20 km/h. O nível de dificuldade preocupava o alto comando, mas não foi um problema para os fuzileiros e marinheiros.

Antes do amanhecer, sete Carros Lagarta Anfíbios (CLAnf) chegaram à praia e deram início ao desembarque. Após eles chegarem foi…

Ucrânia acusa Rússia de tentar 'ocupar' mar de Azov

O presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, acusou a Rússia de bloquear as entradas ao mar de Azov para efetuar sua "ocupação".


Sputnik

"Trata-se de uma brutal violação do direito internacional, e nós não podemos aceitá-lo. Nós temos fortalecido nossa presença [militar] ali e estamos apresentando uma queixa contra a Rússia no Tribunal Permanente de Arbitragem", afirmou o líder ucraniano em entrevista ao jornal Washignton Post.

Resultado de imagem para piotr poroshenko
Presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko | Reprodução

De acordo com Poroshenko, o bloqueio de uma embarcação ucraniana proveniente do porto de Mariupol carregada com produtos metálicos ao menos por um dia causa perdas de milhares de dólares.

"Se a Rússia não parar, temos somente uma ferramenta – sanções", afirmou.

Por sua vez, o deputado do Conselho da Federação russo, Mikhail Sheremet, afirmou que a Rússia se viu obrigada a reforçar as medidas de segurança no mar de Azov em resposta às ameaças terroristas e de pirataria por parte das autoridades ucranianas.

"Reforçar as medidas de segurança no mar de Azov é uma medida de recurso em resposta às ameaças terroristas e de pirataria vindas das autoridades ucranianas. A Rússia devia garantir a segurança de seus pescadores, cidadãos pacíficos, inclusive dos navios que entram no mar de Azov, contra a política agressiva e imprevisível das autoridades da Ucrânia, dispostos a sequestrar embarcações e deter cidadãos, tal como os piratas da Somália", assinalou Sheremet em entrevista à Sputnik, exemplificando suas palavras com a detenção do navio de pesca russo Nord por parte da Ucrânia em março deste ano.

Kiev tem acusado Moscou de bloquear a entrada de navios que seguem para os portos ucranianos através do estreito de Kerch. A paragem dos navios causa prejuízos aos seus armadores, segundo as autoridades ucranianas.

Por sua vez, o Serviço Federal de Segurança russo desmente essas informações, indicando que todas as inspeções de embarcações estrangeiras são efetuadas conforme o direito marítimo internacional e que por parte dos armadores dos navios não tem havido queixas ou reclamações.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas