Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil simula resgate de civis em área de conflito ou desastre natural (VÍDEO)

A Marinha do Brasil realizou entre os dias 6 e 14 de novembro a Operação Atlântico, na praia de Itaoca, no Espírito Santo. A simulação deste ano treinou os oficiais para casos em que houvesse resgate de civis em uma área de conflito armado ou que foram alvos de desastres naturais.
Sputnik

Era por volta de 5h40 do dia 10 de novembro, um sábado, ainda estava amanhecendo, quando o Almirante Paulo Martinho Zucaro, Comandante da Força de Fuzileiros da Esquadra, olhou e disse para a reportagem da Sputnik Brasil: "É guerra".


A declaração foi dada para explicar os motivos de se realizar um treinamento deste porte mesmo em condições extremamente desfavoráveis. A chuva era forte, as ondas na beira da praia atingiam 1,5 metros e os ventos chegaram a 20 km/h. O nível de dificuldade preocupava o alto comando, mas não foi um problema para os fuzileiros e marinheiros.

Antes do amanhecer, sete Carros Lagarta Anfíbios (CLAnf) chegaram à praia e deram início ao desembarque. Após eles chegarem foi…

Ucrânia estaria confrontando Rússia ao reforçar grupo naval no mar de Azov?

Autoridades de Kiev, ao aumentarem o agrupamento militar no mar de Azov, escolheram definitivamente o rumo político de fidelidade aos EUA e de geração de maior tensão na fronteira com a Rússia, disse o cientista político russo Aleksandr Formanchuk.


Sputnik

O Conselho de Defesa e Segurança Nacional ucraniano (RNBO, na sigla em ucraniano) ordenou o fortalecimento da presença militar no mar de Azov e o fornecimento de mísseis às unidades de defesa costeira. Segundo o vice-ministro da Infraestrutura ucraniano, Yuri Lavrenyuk, duas lanchas blindadas foram enviadas para o mar de Azov.

Fragata da Marinha ucraniana
Fragata ucraniana | CC BY-SA 2.0 / Ministry of Defense of Ukraine

A Ucrânia não é capaz de criar um grande agrupamento militar no mar de Azov, pois eles não possuem condições, mas querem medir forças, demonstrando que estão prontos. Agora, o governo ucraniano juntamente com o presidente do país, Poroshenko, se incorporou totalmente na política de lealdade a Washington. Todos os cálculos são feitos para apoiar a Casa Branca, por isso existe o desejo de elevar a presença militar no mar de Azov gerando tensão na fronteira russa, segundo Formanchuk, que acredita que o principal objetivo de Kiev é gerar premissas para um conflito armado com a Rússia.

Kiev acusa Moscou de bloqueio da entrada de navios que prosseguem para os portos ucranianos através do Estreito de Kerch, devido a isso os navios sofrem paragens que resultam em prejuízos. De acordo com a vice-ministra das Relações Exteriores, Olena Zerkal, a guarda fronteiriça russa não estão quebrando o protocolo durante a inspeção de navios ucranianos no mar de Azov.

A Marinha ucraniana reconhece que o país não possui uma grande frota, mas diz que é uma frota eficaz. Além disso, a Marinha ucraniana informou que estão elaborando com especialistas estrangeiros as estratégias de desenvolvimento para desenvolvimento da frota até 2035.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas