Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pentágono se diz pronto para admitir ter muitos 'criminosos' nas suas tropas

Depois que uma série de terríveis desastres de relações públicas que expôs soldados de elite dos EUA sendo presos por posse de drogas, abuso, estupro e assassinato, o Pentágono está reprimindo questões disciplinares em seu Comando de Operações Especiais, segundo um novo relatório.
Sputnik

Com "alegações de falta grave" acumulando-se altas demais para serem ignoradas após duas décadas de guerra, o general Raymond "Tony" Thomas, chefe do Comando de Operações Especiais, e Owen West, chefe de Operações Especiais e Conflito de Baixa Intensidade do Pentágono, esboçaram um ambicioso plano de 90 dias para descobrir como o corpo de elite militar se perdeu.


O primeiro de seu tipo, a avaliação profissional pretende "rever e reforçar os padrões éticos e de conduta", segundo documentos adquiridos pelo jornal The Washington Times.

"O primeiro passo em qualquer programa de tratamento é admitir que você tem um problema", disse uma autoridade do Comando de Operações…

USSTRATCOM e Brasil assinam acordo para compartilhar serviços e dados espaciais

O US Strategic Command (USSTRATCOM) assinou um acordo com o Ministério da Defesa do Brasil para compartilhar serviços e informações sobre a Space Situational Awareness (SSA).


Poder Aéreo

OFFUTT AIR FORCE BASE, Nebraska – O contra-almirante Richard A. Correll, diretor de planos e políticas do USSTRATCOM, assinou o acordo como parte de um esforço maior para construir uma parceria de defesa mais próxima com o Brasil que aumentará a consciência situacional de cada nação no domínio espacial aumentando a segurança de suas operações de voo espacial.

A consciência situacional do espaço fornece dados sobre o lixo espacial e satélites desativados que podem afetar futuros lançamentos
A Consciência Situacional do Espaço fornece dados sobre o lixo espacial e satélites desativados que podem afetar futuros lançamentos

“Cooperação e parcerias como essas são vitais para que os Estados Unidos e nossos aliados mantenham uma consciência situacional espacial efetiva e que todos continuem se beneficiando do domínio crítico que é o espaço”, disse Correll. “Esses acordos constroem nossos relacionamentos e fornecem insights que nos permitem ser mais eficazes no espaço.”

Compartilhando a Consciência Situacional no Espaço promove a abertura, a previsibilidade das operações espaciais e a transparência nas atividades espaciais, permitindo que todas as nações percebam os benefícios do espaço.

“Para o Brasil, as parcerias em atividades espaciais são altamente valiosas. A assinatura do acordo para compartilhar serviços e informações de consciência situacional espacial nos permitirá operar com o apoio do USSTRATCOM, que representa um instrumento importante para promover o uso sustentável do espaço exterior. Além disso, é um compromisso conjunto com a segurança das operações espaciais que ampliará ainda mais a estreita relação entre os dois países”, disse o tenente-general Jefson Borges, chefe de operações do Estado-Maior da Força Aérea Brasileira.

O Brasil junta-se a 14 nações – Reino Unido, República da Coreia, França, Canadá, Itália, Japão, Israel, Espanha, Alemanha, Austrália, Bélgica, Emirados Árabes Unidos, Noruega e Dinamarca – duas organizações intergovernamentais, a Agência Espacial Europeia e a Organização Europeia para a Exploração de Satélites Meteorológicos e mais de 70 proprietários/operadores/ lançadores de satélites comerciais já participando em acordos de partilha de dados da SSA com o USSTRATCOM.

“Compartilhamento de consciência situacional espacial é uma capacidade fundamental que afeta todas as futuras operações e projetos espaciais. O governo dos EUA continuará a fazer parcerias com entidades do espaço para promover o uso responsável, pacífico e seguro do espaço”, disse Correll.

Os acordos de compartilhamento de dados da SSA aprimoram a cooperação espacial multinacional e agilizam o processo para os parceiros do USSTRATCOM solicitarem informações específicas coletadas pelo 18º Esquadrão de Controle Espacial do Comando Espacial da Força Aérea na Base Aérea de Vandenberg, na Califórnia. A informação é crucial para o suporte ao lançamento, planejamento de manobras de satélites, suporte para anomalias em órbita, relatório e investigação de interferência eletromagnética, atividades de desativação de satélites e avaliações de conjunção em órbita.

O USSTRATCOM tem responsabilidades globais atribuídas por meio do Plano de Comando Unificado, que incluem dissuasão estratégica, operações nucleares, operações espaciais, operações conjuntas de espectro eletromagnético, ataque global, defesa antimísseis e análise e direcionamento.

FONTE: U.S. Air Force Space Command

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas