Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Zarif: Diplomacia evita guerra em Idlib

O ministro das Relações Exteriores do Irã disse na terça-feira que os esforços diplomáticos para a questão da cidade síria de Idlib estão dando frutos com a iminente guerra na região tendo sido evitada.


Pars Today

"Intensiva diplomacia responsável nas últimas semanas - perseguida em minhas visitas a Ancara e Damasco, seguida pela Cúpula Irã-Rússia-Turquia em Teerã e a reunião é Sochi - evitando a guerra em Idlib com um firme compromisso de combater extremistas terror ", Mohammad-Javad Zarif escreveu em sua conta no Twitter.

Zarif: Diplomacia evita guerra em Idlib
Mohammad-Javad Zarif | Reprodução

"A diplomacia funciona", enfatizou.

O chanceler iraniano se referiu a um acordo assinado em 17 de setembro pelo presidente russo, Vladimir Putin, e seu colega turco, Recep Tayyip Erdogan, sobre a suspensão de uma grande ofensiva militar contra os terroristas em Idlib e a criação de uma zona desmilitarizada em 15 de outubro.

Preocupada com a crise humanitária, a Turquia, lar de mais de três milhões de refugiados sírios, manifestou sua oposição a qualquer nova ofensiva na cidade por temer outro êxodo de refugiados.

A Rússia está se preparando para um ataque à cidade de três milhões de pessoas no noroeste da Síria como o último ponto de apoio de vários grupos terroristas e extremistas.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas