Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

A presença dos EUA na Síria é ilegal, afirma chanceler

''A presença estadunidense em território sírio é ilegal e é uma agressão'', afirmou o ministro de Relações Exteriores Walid Moallem, em entrevista à rede russa Sputnik, divulgada hoje em meios de imprensa nacionais.


Prensa Latina
Damasco - O também vice-presidente sírio enfatizou que as forças dos EUA, empregadas na região de Tanef, recrutam os extremistas do Estado Islâmico, (Daesh em árabe) e os enviam novamente ao combate para prolongar a crise e favorecer o regime de Israel.

Ministro de Relações Exteriores da Síria, Walid Moallem | Reprodução

Entre outros temas tratados, Moallem sublinhou que as relações com o Irã 'não são negociáveis' porque a presença aqui de assessores dessa nação foi estabelecida com Damasco sobre bases jurídicas e totalmente legais.

Durante a entrevista, o chanceler qualificou de positivo o pactuado na província de Idleb para a criação de uma região desmilitarizada e é um passo para restabelecer a autoridade do Estado sírio em todo o território do país.

Moallem ratificou que Síria está comprometida com as negociações de Astaná e Sochi, bem como com os esforços que realizam tanto a Rússia como o Irã para encontrar uma solução que sirva ao povo sírio no processo político.

Sobre o sistema antiaéreo S300, sublinhou que é defensivo em sua essência, e não ofensivo, e manifestou que 'se analisamos a importância de proteger o céu sírio, veremos que isto é um sinal de segurança e estabilidade, e não de guerra'.

Comentários

Postagens mais visitadas