Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Temos armas hipersônicas': Rússia dará resposta à saída dos EUA do Tratado INF, diz Putin

A Rússia não deixará a decisão dos Estados Unidos de retirar-se unilateralmente do tratado de armas nucleares sem resposta, garantiu o presidente russo Vladimir Putin, acrescentando que o país não precisa se unir a outra corrida armamentista.
Sputnik

Moscou ainda está pronta para continuar dialogando com Washington sobre o tratado bilateral que proíbe os mísseis de médio alcance, que se tornou uma das pedras angulares do desarmamento nuclear, disse o líder russo em uma reunião do governo em Sochi. Ainda assim, os EUA devem "tratar esta questão com total responsabilidade", disse o presidente, acrescentando que a decisão de Washington de retirar-se do acordo "não pode e não ficará sem resposta".


Estas não são ameaças vazias, advertiu Putin. Ele disse que a Rússia já havia advertido os EUA contra a saída do tratado ABM que regulamenta os sistemas de mísseis e avisou Washington sobre possíveis retaliações. "Agora, temos armas hipersônicas capazes de penetrar qualquer…

Ataque aéreo da coalizão internacional a Deir ez-Zor mata mais de 60 civis, diz mídia

Os ataques aéreos da coalizão internacional liderada pelos EUA contra duas aldeias na província síria de Deir ez-Zor levaram as vidas de 62 civis, comunica a mídia estatal.


Sputnik

"62 civis morreram, dezenas foram feridos na sequência de um ataque da aviação da coalizão internacional contra as aldeias de Al-Sousse e Al-Bubadran, no leste da província de Deir ez-Zor", informa a SANA.

Cidade de Deir ez-Zor
Deir ez-Zor, Síria © AFP 2018 / AHMAD ABOUD

Contudo, a agência não precisou a data concreta em que foram efetuados os ataques.

Nesta quinta-feira (18), uma fonte militar síria já comunicara à Sputnik que a coalizão internacional estaria efetuando ataques contra o povoado de Al-Sousse.

A coalizão de mais de 70 países liderada pelos EUA está conduzindo operações militares contra o Daesh (organização terrorista proibida na Rússia e em uma série de países) na Síria e no Iraque. No entanto, nem o governo sírio, nem as Nações Unidas concederam permissão para a operação no território sírio.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas