Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Diretor de Projetos da Marinha do Brasil diz que Programa Tamandaré não será afetado por cortes no orçamento

Convidado para falar a empresários catarinenses durante a reunião do Comitê da Indústria da Defesa (Comdefesa), da Fiesc, o vice-almirante Petronio Augusto Siqueira de Aguiar, diretor de Projetos da Marinha do Brasil, garantiu na manhã desta quinta-feira que o bloqueio de verbas do governo federal não vai afetar o andamento do projeto de construção de quatro navios da Marinha em Itajaí.
Poder Naval

Ele confirmou que o recurso previsto para a empreitada, de R$ 2,5 bilhões, está contingenciado – mas acredita que isso será revertido no segundo semestre. – Esse projeto não tem volta. O Brasil e a Marinha precisam modernizar a frota – afirmou.

A Marinha foi a principal atingida pelo bloqueio de verbas no setor de Defesa, que soma R$ 13 bilhões. O recurso para as corvetas está com a Emgepron, empresa de projetos da Marinha que negocia os termos do contrato com o consórcio Águas Azuis, vencedor da concorrência pública para construção das embarcações.

O grupo tem entre as consorciadas a alemã Thys…

Caça Gripen E dispara míssil IRIS-T pela primeira vez

O caça Gripen E concluiu com sucesso os primeiros testes para verificar a capacidade de liberar e lançar cargas úteis externas. Os testes foram realizados em outubro de 2018 no Vidsel Test Range, no norte da Suécia.


Poder Aéreo

Os testes, conduzidos pela primeira aeronave de teste Gripen E (designada 39-8), consistiram em alijar um tanque externo de combustível e um disparo de um míssil ar-ar IRIS-T.

Míssil IRIS-T saindo do trilho da asa do Gripen E 39-8
Míssil IRIS-T saindo do trilho da ponta da asa do Gripen E 39-8

“Como piloto, voar com cargas externas, como tanque alijável e mísseis, é importante para permitir a avaliação de como a aeronave se comporta com as cargas anexadas. Este teste também foi usado para avaliar o efeito na aeronave ao liberar e lançar as cargas. O destaque foi, claro, puxar o gatilho e ver o míssil disparar. Isso também nos aproxima da preparação da aeronave para o seu uso operacional”, diz Marcus Wandt, piloto experimental de testes Gripen da Saab.

“Estou satisfeito em ver a aeronave realizando e se comportando de acordo com as nossas expectativas, o que prova seu design inteligente e engenharia de classe mundial da Saab. O programa está no bom caminho e estamos fazendo um bom progresso no programa para a entrega aos nossos clientes suecos e brasileiros”, diz Jonas Hjelm, vice-presidente sênior e chefe da área de negócios da Saab Aeronautics.

Esses testes são os últimos passos do programa de testes de voo Gripen E, precedidos pelos testes de transporte em julho, e fazem parte do trabalho de integração de armas.

O Gripen E possui armas para todos os tipos de missões, como ataque de precisão com bombas planadoras guiadas, mísseis antinavio e de ataque profundo, até mísseis ar-ar de longo alcance e ágeis como o Meteor. O Gripen E também pode transportar pods e sensores para reconhecimento e missões especiais. Para dar às forças aéreas uma ampla variedade de recursos operacionais, o Gripen E foi projetado para permitir a rápida integração de várias armas. Isso é parcialmente possível graças à arquitetura aviônica flexível do Gripen E.

FONTE: Saab

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas