Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares revelam como suas vidas foram destruídas pelo Exército dos EUA

O Twitter oficial do Exército dos EUA realizou uma pesquisa para averiguar como o serviço impactou a vida de seus militares.
Sputnik

Atualmente, mais de 9.000 pessoas já compartilharam suas opiniões. Apesar de constatarem que o serviço no Exército fortalece fisicamente e emocionalmente as pessoas, dando algum sentido às suas vidas e abrindo perspectivas profissionais, há muitos outros comentários com declarações céticas e críticas sobre a influência do Exército dos EUA no mundo, no país e na sua vida pessoal.

Várias pessoas compartilharam histórias de seus familiares que cometeram suicídio, sofreram de transtorno por estresse pós-traumático, passaram por mudanças radicais de caráter e comportamento ou deixaram de ser saudáveis depois de participarem em ações militares dos EUA.

Além disso, há aqueles cujos familiares ou eles próprios foram abusados durante o serviço.

Outros usuários recordaram que os horrores da guerra deixam cicatrizes na mente.

Diversos outros usuários da rede social compa…

Caças alemães retomam voos de treinamento no espaço aéreo da Estônia

Os caças alemães Eurofighter que protegem o espaço aéreo dos países bálticos e que estão deslocados na base aérea de Amari, perto de Tallinn, efetuarão novamente voos diários de treinamento sobre a Estônia a baixa altitude de 15 até 19 de outubro.


Sputnik

Os treinamentos foram retomados no início de setembro, depois que todos os voos da OTAN de proteção do espaço aéreo dos países bálticos foram interrompidos em decorrência de um incidente com o lançamento acidental de um míssil ar-ar por um caça Eurofighter no dia 7 de agosto. Até agora o míssil não foi encontrado.

Caças da Força Aérea da Alemanha Eurofighter
Eurofighter Typhoon alemães © AP Photo / Martin Meissner

"No decurso da semana de trabalho, os caças da Força Aérea da Alemanha Eurofighter realizarão voos de treinamento no espaço aéreo da Estônia. Os voos serão efetuados a altitudes inferiores a 152 metros e principalmente fora das povoações", informa o comunicado de imprensa das Forças Armadas da Estônia.

Os voos são conduzidos com base em acordos entre países da OTAN em áreas especialmente designadas. Essas zonas para voos em baixas altitudes são atribuídas por todos os governos dos países bálticos. Segundo os militares, os voos não contradizem as leis da Estônia e são coordenados com o departamento de aviação.

Os países bálticos não possuem aviões adequados para patrulhamento aéreo. Por isso, desde abril de 2004 (depois da adesão à OTAN), a proteção do seu espaço aéreo é efetuada em regime rotativo por aeronaves dos países da Aliança, deslocadas no aeroporto de Zokniai na Lituânia, a cinco quilômetros de Siauliai, e também na base aérea de Amari. Na cúpula da OTAN em Chicago, em 2012, a missão foi prorrogada por um período indefinido.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas