Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha da Argentina fala sobre localização do submarino ARA San Juan

Embarcação desaparecida há 1 ano foi localizada neste sábado a 907 metros de profundidade. Ainda não há previsão de início dos trabalhos de resgate. 'Não temos meios para resgatar o submarino', diz ministro.
Por G1

A Marinha da Argentina informou neste sábado (17) que o submarino ARA San Juan, que sumiu há 1 ano com 44 tripulantes, foi encontrado a 907 metros de profundidade em uma área de "visibilidade bastante reduzida", e que a embarcação sofreu uma "implosão" no fundo das águas do Oceano Atlântico.

Segundo Enrique Balbi, porta-voz da Marinha, a proa, a popa e a vela se desprenderam do submarino e estão localizadas em uma área de 80 a 100 metros. “Isso sugere que a implosão tenha ocorrido muito perto do fundo”, disse.

Segundo a Marinha, as imagens mostram que o casco do submarino permaneceu bastante intacto, apenas com algumas deformações, e que todas as outras partes se desprenderam. A implosão teria ocorrido em razão da pressão externa do mar ter superado …

Caças alemães retomam voos de treinamento no espaço aéreo da Estônia

Os caças alemães Eurofighter que protegem o espaço aéreo dos países bálticos e que estão deslocados na base aérea de Amari, perto de Tallinn, efetuarão novamente voos diários de treinamento sobre a Estônia a baixa altitude de 15 até 19 de outubro.


Sputnik

Os treinamentos foram retomados no início de setembro, depois que todos os voos da OTAN de proteção do espaço aéreo dos países bálticos foram interrompidos em decorrência de um incidente com o lançamento acidental de um míssil ar-ar por um caça Eurofighter no dia 7 de agosto. Até agora o míssil não foi encontrado.

Caças da Força Aérea da Alemanha Eurofighter
Eurofighter Typhoon alemães © AP Photo / Martin Meissner

"No decurso da semana de trabalho, os caças da Força Aérea da Alemanha Eurofighter realizarão voos de treinamento no espaço aéreo da Estônia. Os voos serão efetuados a altitudes inferiores a 152 metros e principalmente fora das povoações", informa o comunicado de imprensa das Forças Armadas da Estônia.

Os voos são conduzidos com base em acordos entre países da OTAN em áreas especialmente designadas. Essas zonas para voos em baixas altitudes são atribuídas por todos os governos dos países bálticos. Segundo os militares, os voos não contradizem as leis da Estônia e são coordenados com o departamento de aviação.

Os países bálticos não possuem aviões adequados para patrulhamento aéreo. Por isso, desde abril de 2004 (depois da adesão à OTAN), a proteção do seu espaço aéreo é efetuada em regime rotativo por aeronaves dos países da Aliança, deslocadas no aeroporto de Zokniai na Lituânia, a cinco quilômetros de Siauliai, e também na base aérea de Amari. Na cúpula da OTAN em Chicago, em 2012, a missão foi prorrogada por um período indefinido.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas