Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

China 'libertará' em breve seu bombardeiro estratégico supersecreto, diz mídia

A mídia chinesa informou que o bombardeiro estratégico de nova geração e de produção nacional H-20, após uma década de desenvolvimento, poderá fazer em breve seu primeiro voo.


Sputnik

Em agosto, a Televisão Central da China revelou em um documentário, por ocasião do 91º aniversário do Exército chinês, que o primeiro bombardeiro H-20 poderia começar a voar antes do prazo estimado, segundo o site de notícias Asia Times.

14606002
Bombardeiro chinês Hong-20 | CCTV

Mais cedo neste mês, a emissora estatal confirmou que o bombardeiro deverá fazer seu voo de ensaio em breve.

O design do H-20 chinês foi inspirado no bombardeiro furtivo norte-americano Northrop Grumman B-2 Spirit, sendo destinado a substituir os aviões da série H-6 ainda em serviço. O atual bombardeiro de longo alcance H-6K da Força Aérea da China é um avião modernizado e renovado da série H-6, baseada no bombardeiro soviético Tu-16.

As especificações do H-20 compreendem um alcance de 8.000 quilômetros sem reabastecimento e um compartimento de armas capaz de transportar mais de 10 toneladas de munições, incluindo armas termonucleares.

Posteriormente, o alcance do avião deverá ser aumentado para 12.000 quilômetros com capacidade de carregar até 20 toneladas de carga, disse em abril o analista Fu Qianshao ao The Global Times.

Em novembro passado, o Asia Times relatou que Pequim pretende que seu H-20 seja capaz de alcançar a costa ocidental dos EUA, permitindo lançar mísseis em alvos norte-americanos.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas