Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pentágono se diz pronto para admitir ter muitos 'criminosos' nas suas tropas

Depois que uma série de terríveis desastres de relações públicas que expôs soldados de elite dos EUA sendo presos por posse de drogas, abuso, estupro e assassinato, o Pentágono está reprimindo questões disciplinares em seu Comando de Operações Especiais, segundo um novo relatório.
Sputnik

Com "alegações de falta grave" acumulando-se altas demais para serem ignoradas após duas décadas de guerra, o general Raymond "Tony" Thomas, chefe do Comando de Operações Especiais, e Owen West, chefe de Operações Especiais e Conflito de Baixa Intensidade do Pentágono, esboçaram um ambicioso plano de 90 dias para descobrir como o corpo de elite militar se perdeu.


O primeiro de seu tipo, a avaliação profissional pretende "rever e reforçar os padrões éticos e de conduta", segundo documentos adquiridos pelo jornal The Washington Times.

"O primeiro passo em qualquer programa de tratamento é admitir que você tem um problema", disse uma autoridade do Comando de Operações…

Depois de mísseis e drones bombardeando, Irã avisa aos terroristas na Síria: haverá mais

O chefe do Estado-Maior do Irã, major-general Mohammad Bagheri, após o ataque dos militares iranianos na Síria contra as posições dos organizadores do ataque terrorista na cidade iraniana de Ahvaz prometeu a terroristas uma "retaliação" posterior.


Sputnik

Surgiram notícias que os militares iranianos lançaram mísseis balísticos contra os organizadores do ataque terrorista em Ahvaz e contra instalações terroristas na margem oriental do rio Eufrates, na Síria.

Lançamento de míssil realizado pelo Irã, foto de arquivo
Lançamento de míssil iraniano © AFP 2018 / AMIN KHOROSHAHI / ISNA

Durante a operação, seis mísseis balísticos de médio alcance foram lançados de uma base aérea iraniana no oeste do país, e os "mercenários e criminosos" terroristas foram acertados em cheio a 570 quilômetros de distância, de acordo com declaração oficial iraniana.

Posteriormente, sete drones de combate bombardearam posições e refúgios usados para acomodar e apoiar terroristas.

"A primeira fase de retaliação pelo ataque a Ahvaz foi concluída; vão ter outras fases", declarou o chefe do Estado-Maior iraniano, citado pela agência Tasnim.

No dia 22 de setembro, atiradores desconhecidos abriram fogo contra um desfile militar na cidade iraniana de Ahvaz, assassinado 28 pessoas e deixando mais de 60 feridas.

A responsabilidade pelo atentado foi assumida pelo Movimento Democrático Patriótico Árabe de Ahvaz (Al-Ahvazia), ligado à Arábia Saudita.

O líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, acusou os países da região "apoiados pelos EUA" de serem responsáveis pelo ataque terrorista na cidade de Ahvaz.

O chanceler iraniano, Javad Zarif, também acusou os "patrocinadores regionais do terrorismo e seus senhores norte-americanos" de terem organizado o ataque.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas