Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump diz que 'certamente' entraria em guerra com o Irã, mas 'não agora'

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que consideraria uma ação militar contra o Irã para impedir que a República Islâmica consiga armas nucleares. A briga entre Teerã e Washington aumentou depois que os EUA acusaram o Irã de atacar dois petroleiros.
Sputnik

"Eu certamente vou considerar as armas nucleares", disse Trump à revista Time na terça-feira, quando perguntado sobre o que poderia levá-lo a declarar guerra ao Irã. "E eu manteria o outro um ponto de interrogação".

A reportagem não especificou se o presidente elaborou o cenário de lançar um conflito armado de pleno direito com a República Islâmica sobre seu programa nuclear. Quando um repórter perguntou a Trump se ele estava considerando uma ação militar contra o Irã agora, ele respondeu: "Eu não diria isso. Eu não posso dizer isso".

Seus comentários foram feitos um dia depois de o Pentágono ter enviado 1.000 soldados extras para o Oriente Médio "para fins defensivos".

Os Estados Unidos cu…

Deputado ucraniano diz por que país não será capaz de construir cruzador de mísseis

O secretário do Comitê de Defesa e Segurança Nacional da Suprema Rada, Ivan Vinnik, revelou por que o país não pode terminar a construção do seu próprio cruzador de mísseis.


Sputnik

"Infelizmente, não posso aconselhar nenhuma solução positiva, pois na realidade as Forças Armadas da Ucrânia não podem se dar ao luxo de ter um navio de classe tão elevada do ponto de vista do preço, de terminar sua montagem e usá-lo plenamente", disse ele em uma entrevista a uma edição ucraniana.

Cruzador de mísseis Ukrayina no Estaleiro Naval de Nikolaev, Ucrânia
Cruzador de mísseis Ukrayina no Estaleiro Naval Nikolaev, Ucrânia © Sputnik / Sergei Mamontov

De acordo com ele, a construção do cruzador poderia "aumentar significativamente as capacidades" da Ucrânia no mar Negro. Entretanto, reconheceu que, mesmo caso receba os recursos necessários, o país não poderá garantir seu equipamento, pois não dispõe dos necessários sistemas de defesa antiaérea, de monitoramento, controle de fogo e defesa antimíssil.

O político relembrou que, inicialmente, o projeto foi elaborado em parceria entre Kiev e Moscou.

A construção desse navio, o 4º do projeto 1164 Atlant, começou em 1984 em Nikolaev, ainda no tempo da URSS. Passados seis anos, ele estava pronto em 75%, enquanto em 1993 passou a ser propriedade da Ucrânia.

Em 1998, as autoridades tentaram concluir a construção, mas se depararam com escassez de recursos. Depois, se discutiu a possibilidade de vender o navio para a Rússia. Já em 2013, a parte ucraniana propôs finalizar a construção do navio a o equipar na sequência em empresas russas, mas não conseguiu chegar a acordo com Moscou.

Em março de 2017, Pyotr Poroshenko assinou um decreto sobre a utilização do cruzador para fins civis.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas