Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Deputado ucraniano diz por que país não será capaz de construir cruzador de mísseis

O secretário do Comitê de Defesa e Segurança Nacional da Suprema Rada, Ivan Vinnik, revelou por que o país não pode terminar a construção do seu próprio cruzador de mísseis.


Sputnik

"Infelizmente, não posso aconselhar nenhuma solução positiva, pois na realidade as Forças Armadas da Ucrânia não podem se dar ao luxo de ter um navio de classe tão elevada do ponto de vista do preço, de terminar sua montagem e usá-lo plenamente", disse ele em uma entrevista a uma edição ucraniana.

Cruzador de mísseis Ukrayina no Estaleiro Naval de Nikolaev, Ucrânia
Cruzador de mísseis Ukrayina no Estaleiro Naval Nikolaev, Ucrânia © Sputnik / Sergei Mamontov

De acordo com ele, a construção do cruzador poderia "aumentar significativamente as capacidades" da Ucrânia no mar Negro. Entretanto, reconheceu que, mesmo caso receba os recursos necessários, o país não poderá garantir seu equipamento, pois não dispõe dos necessários sistemas de defesa antiaérea, de monitoramento, controle de fogo e defesa antimíssil.

O político relembrou que, inicialmente, o projeto foi elaborado em parceria entre Kiev e Moscou.

A construção desse navio, o 4º do projeto 1164 Atlant, começou em 1984 em Nikolaev, ainda no tempo da URSS. Passados seis anos, ele estava pronto em 75%, enquanto em 1993 passou a ser propriedade da Ucrânia.

Em 1998, as autoridades tentaram concluir a construção, mas se depararam com escassez de recursos. Depois, se discutiu a possibilidade de vender o navio para a Rússia. Já em 2013, a parte ucraniana propôs finalizar a construção do navio a o equipar na sequência em empresas russas, mas não conseguiu chegar a acordo com Moscou.

Em março de 2017, Pyotr Poroshenko assinou um decreto sobre a utilização do cruzador para fins civis.

Comentários

Postagens mais visitadas