Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

DHC-5 Buffalo, um ‘quase’ All American Made

Após a Segunda Guerra Mundial a liderança norte-americana na indústria aeronáutica era quase que absoluta e até hoje vários componentes de aeronaves feitas no Ocidente são fabricados nos Estados Unidos.


Por Roberto F. Santana | Poder Aéreo

Alguns fabricantes, entretanto, lograram certa independência, como a multinacional europeia Airbus.

DHC-5D Buffalo
DHC-5D Buffalo

Nos anos setenta e oitenta, a fabricante de aeronaves de Havilland Canada produzia o DHC-5 Buffalo, porém, a aeronave tinha até 89% de seus componentes produzidos nos Estados Unidos.

Veja na ilustração, alguns desses componentes:
  • Os motores CT64-820-4 eram produzidos pela General Electric; Lynn, Massachusetts.
  • Aquecimento e refrigeração da cabine e compartimento produzidos pela Air Research; Torrence, Califórnia.
  • Unidade de Força Auxiliar (APU), produzida pela Solar; San Diego, Califórnia.
  • Chapas de alumínio, parafusos e rebites, produzidos por vários fornecedores norte-americanos.
  • Aviônica, piloto automático, instrumentos de voo e motor, produzidos nos Estados Unidos, pela Sperry Avionics, Collins, Bendix e General Electric.
  • Hélices produzidas pela Hamilton Standard; Windsor Locks, Connecticut.
  • Montantes dos motores produzidos pela Lord; Erie, Pensilvânia.
  • Rodas, freios e pneus, produzidos pela B.F. Goodrich; Troy, Ohio.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas