Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Expansão da OTAN na Europa é uma 'relíquia da Guerra Fria', diz Putin

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse em entrevista à imprensa sérvia publicada nesta quarta-feira (horário local) que a Rússia não quer uma nova corrida armamentista.
Sputnik

"Não vamos fechar os olhos ao desdobramento de mísseis de cruzeiro dos EUA [na Europa] e sua ameaça direta à nossa segurança. Teremos que tomar medidas eficazes de retaliação. Mas como país responsável e sensato, a Rússia não está interessada em uma nova corrida armamentista", afirmou.


Segundo o presidente russo, Moscou enviou em dezembro a Washington algumas propostas sobre a manutenção do Tratado INF. Além disso, Putin destacou que a Rússia está pronta para um diálogo sério com os Estados Unidos sobre toda a agenda estratégica.

No entanto, os Estados Unidos parecem ter uma política de "desmantelamento" em relação ao controle global de armas, acrescentou o presidente russo.

Durante a entrevista aos meios de comunicação sérvios, Putin também instou os parceiros ocidentais a estabelecer um …

Donetsk não exclui agressão por parte da Ucrânia, mas afirma estar pronta para repeli-la

O líder interino da autoproclamada República Popular de Donetsk (RPD), Denis Pushilin, disse que a RPD está pronta para repelir uma possível agressão da Ucrânia, que no momento atual não pode ser excluída.


Sputnik

"Estamos prontos para repelir uma possível agressão. Neste momento, infelizmente, isso não está excluído da parte da Ucrânia. Também estamos prontos para dar outros passos, diferentes passos. Para isso é necessário que haja conveniência política, o que agora não existe", disse ele na quarta-feira em uma entrevista para o canal de TV Rossiya 24.


Resultado de imagem para Denis Pushilin
Denis Pushilin | Reprodução

De acordo com Pushilin, ele está tranquilo quanto ao estado do equipamento militar, ao número de pessoal e a seu nível de treinamento.

"Atualmente nós, por um lado, precisamos de um exército eficiente e ele tem demonstrado isso na linha de frente… Não temos mais milícias dispersas, mas sim um exército pleno, com todos os seus atributos, incluindo a preparação militar", acrescentou Pushilin.

As autoridades da Ucrânia lançaram em abril 2014 uma operação militar contra as repúblicas populares de Donetsk e Lugansk, que declararam independência após o golpe de Estado na Ucrânia em fevereiro de 2014. De acordo com os últimos dados da ONU, mais de 10 mil pessoas foram vítimas do conflito. A questão de resolver a situação no Donbas foi discutida, inclusive durante as reuniões em Minsk do grupo de contato, que, desde setembro de 2014, já adotou três documentos regulando as medidas para desescalar o conflito. No então, após os acordos de armistício entre as partes no conflito, as discussões continuam.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas