Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Expansão da OTAN na Europa é uma 'relíquia da Guerra Fria', diz Putin

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse em entrevista à imprensa sérvia publicada nesta quarta-feira (horário local) que a Rússia não quer uma nova corrida armamentista.
Sputnik

"Não vamos fechar os olhos ao desdobramento de mísseis de cruzeiro dos EUA [na Europa] e sua ameaça direta à nossa segurança. Teremos que tomar medidas eficazes de retaliação. Mas como país responsável e sensato, a Rússia não está interessada em uma nova corrida armamentista", afirmou.


Segundo o presidente russo, Moscou enviou em dezembro a Washington algumas propostas sobre a manutenção do Tratado INF. Além disso, Putin destacou que a Rússia está pronta para um diálogo sério com os Estados Unidos sobre toda a agenda estratégica.

No entanto, os Estados Unidos parecem ter uma política de "desmantelamento" em relação ao controle global de armas, acrescentou o presidente russo.

Durante a entrevista aos meios de comunicação sérvios, Putin também instou os parceiros ocidentais a estabelecer um …

Erdogan: comissão constitucional síria deve iniciar os trabalhos em 2019

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, classificou a cúpula sobre Síria em Istambul de produtiva e disse que esta reunião irá ampliar o formato de discussões em Astana.


Sputnik

O presidente ressaltou que durante o encontro foi confirmado o acordo russo-turco sobre a situação em Idlib.


Russian President Vladimir Putin, French President Emmanuel Macron, German Chancellor Angela Merkel and Turkish President Recep Tayyip Erdogan (right) during the meeting on Syria, October 27, 2018.
Vladimir Putin, Emmanuel Macron, Angela Merkel e Recep Tayyip Erdogan © Sputnik / Mikhail Klimentyev

"Com a chegada da França e da Alemanha conseguimos avaliar as formas de melhorar a cooperação no formato de Astana", disse o chefe de Estado.

Erdogan disse que os quatro países defendem a integridade territorial da Síria, bem como sua unidade política, e não consideram possível uma solução militar para o conflito.

"Confirmamos os nossos acordos sobre Idlib, que evitarão uma crise humanitária. Informaremos o Irã [dos resultado] e continuaremos a cooperar para a resolução do conflito sírio", acrescentou o presidente.

Erdogan destacou ter concordado com os seus três colegas sobre a necessidade de criar, antes do final do ano, a comissão constitucional na Síria, que deve começar a trabalhar em 2019.

Istambul sediou neste 27 de outubro uma reunião de cúpula da Rússia, Turquia, Alemanha e França, que discutiu medidas para acelerar a solução política para a crise na Síria, reforçar a segurança do país árabe e criar condições para o regresso dos refugiados sírios para seu país de origem.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas