Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Lançamento do Submarino Riachuelo – S40 (VIDEO)

Hoje, 14 de dezembro, às 10h da manhã em Itaguaí-RJ, teve início a Cerimônia de Lançamento do Submarino Riachuelo, o primeiro de uma série de quatro submarinos convencionais e um nuclear que estão sendo construídos pela Marinha do Brasil. A cerimônia conta com a presença do Presidente da República.
Poder Naval

O nome do primeiro submarino, “Riachuelo”, é alusivo à Batalha Naval do Riachuelo, considerada decisiva na Guerra do Paraguai, com atuação destacada da Marinha do Brasil.


Acompanhe a Cerimônia em tempo real no vídeo no final deste post.
Prosub

O Brasil tem o mar como uma forte referência em todo o seu desenvolvimento. É nessa área marítima que os brasileiros desenvolvem as atividades pesqueiras, o comércio exterior e a exploração de recursos biológicos e minerais. A imensa riqueza das águas, do leito e do subsolo marinho nesse território justifica seu nome: Amazônia Azul.

A Amazônia Azul cobre uma área de 3,5 milhões de quilômetros quadrados. Mas o país pleiteia na Organização das Naç…

EUA não descartam destruição de supostos mísseis de cruzeiro da Rússia se necessário

De acordo com a embaixadora dos EUA na OTAN, Kay Bailey Hutchison, a Rússia deveria deixar de desenvolver sistema de mísseis de cruzeiro banido ou os EUA procurarão destruí-lo antes mesmo de se tornar operacional.


Sputnik

Os Estados Unidos acreditam que a Rússia esteja desenvolvendo um sistema de baseamento terrestre capaz de lançar ataque nuclear de última hora contra a Europa, violando, assim, um acordo da Guerra Fria, entretanto, Moscou nega estar violando.

Embaixadora dos EUA na OTAN, Kay Bailey Hutchison
Embaixadora dos EUA na OTAN, Kay Bailey Hutchison | CC BY 2.0 / Chairman of the Joint Chiefs of Staff / 180115-D-PB383-005

A embaixadora americana na OTAN afirma que os EUA visam solução diplomática, mas não descartam ataque militar se a Rússia continuar desenvolvendo sistema de médio alcance, enfatizando que "nesse momento, nós estaríamos analisando a possibilidade de eliminar míssil [russo] que possa atingir qualquer um dos nossos países", conforme artigo publicado pela Reuters.

A chancelaria russa não comentou o caso, entretanto, afirmou anteriormente que a Rússia estaria pronta para conversar com os EUA, visando preservar o acordo e cumprir suas obrigações se os EUA fizessem o mesmo. Vale ressaltar que o acordo nuclear foi firmado em 1987 para garantir a segurança da Europa e do Alasca, já que os mísseis russos de médio alcance seriam capazes de atingir ambas as regiões.

Já o secretário de Defesa americano, Jim Mattis, afirma que discutirá o assunto entre as contrapartes da OTAN em um encontro que terá uma duração de dois dias e ocorrerá em Bruxelas, deixando claro que ele "não pode informar onde o encontro ocorrerá, por se tratar de uma decisão do presidente, mas garante que há muito que discutir sobre essa situação com os aliados e que após o encontro saberá os próximos passos".

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas