Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Diretor de Projetos da Marinha do Brasil diz que Programa Tamandaré não será afetado por cortes no orçamento

Convidado para falar a empresários catarinenses durante a reunião do Comitê da Indústria da Defesa (Comdefesa), da Fiesc, o vice-almirante Petronio Augusto Siqueira de Aguiar, diretor de Projetos da Marinha do Brasil, garantiu na manhã desta quinta-feira que o bloqueio de verbas do governo federal não vai afetar o andamento do projeto de construção de quatro navios da Marinha em Itajaí.
Poder Naval

Ele confirmou que o recurso previsto para a empreitada, de R$ 2,5 bilhões, está contingenciado – mas acredita que isso será revertido no segundo semestre. – Esse projeto não tem volta. O Brasil e a Marinha precisam modernizar a frota – afirmou.

A Marinha foi a principal atingida pelo bloqueio de verbas no setor de Defesa, que soma R$ 13 bilhões. O recurso para as corvetas está com a Emgepron, empresa de projetos da Marinha que negocia os termos do contrato com o consórcio Águas Azuis, vencedor da concorrência pública para construção das embarcações.

O grupo tem entre as consorciadas a alemã Thys…

EUA não têm provas sobre violação russa de acordo nuclear, diz senador russo

Os Estados Unidos não têm provas sobre as alegadas de violações russas de acordo nuclear sobre armas de alcance intermediário, disse à Sputnik o senador russo Frants Klintsevich.


Sputnik

Neste sábado (20), o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou que o país deixará o acordo nuclear com Rússia e acusou os russos de violarem o tratado.


US Republican presidential candidate Donald Trump holds his bible while speaking at the Iowa Faith and Freedom Coalition Forum in Des Moines, Iowa, September 19, 2015
Donald Trump © REUTERS / Brian C. Frank

"É óbvio que os Estados Unidos não têm provas que comprovem as violações da Rússia das cláusulas do tratado ", disse Klintsevich.

O senador ainda apontou que a decisão de Trump de deixar o acordo não está alinhada com os interesses de seus aliados europeus.

"[Os Estados Unidos] querem nos arrastar, como a União Soviética, para uma corrida armamentista. Não terá sucesso. Não tenho dúvidas de que nosso país conseguirá garantir sua segurança sob quaisquer circunstâncias", acrescentou Klintsevich.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas