Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pentágono nega que avião russo tenha 'expulsado' bombardeiro americano do Báltico

O Pentágono não concorda que o bombardeiro estratégico norte-americano B-52H tenha sido expulso por um caça russo Su-27 sobre o mar Báltico, comunicou à Sputnik o representante da entidade militar americana Eric Pahon.
Sputnik

"O avião da Força Aérea dos EUA B-52H realizava operações rotineiras no espaço aéreo internacional segundo o princípio da liberdade de navegação e de voo. Em 20 de março, o B-52H teve um encontro ordinário com um Su-27 russo que efetuava operações sobre o mar Báltico", esclareceu o porta-voz do Pentágono.

Pahon acrescentou que o Su-27 não expulsou o B-52H, que conseguiu completar a sua missão.

Na véspera, o Ministério da Defesa da Rússia publicou um vídeo de caças russos escoltando um bombardeiro estratégico americano Boeing B-52H sobre as águas neutras do mar Báltico. Segundo o comunicado, dois caças Su-27 levantaram voo para identificar e acompanhar a aeronave dos EUA.

De acordo com o Ministério, após o B-52H ter mudado de trajetória, distanciando-se da f…

EUA podem voltar a enviar navios ao estreito de Taiwan, arriscando enfurecer China

Os Estados Unidos estão considerando enviar de novo seus navios através do estreito de Taiwan, arriscando escalar as tensões com a China, informa a Reuters citando autoridades americanas.


Sputnik

A missão em questão tem por objetivo assegurar a passagem livre através desta hidrovia estratégica, segundo a fonte citada pela agência.


Porta-aviões norte-americano Theodore Roosevelt no mar do Sul da China
Porta-aviões dos EUA USS Theodore Roosevelt no Mar do Sul da China © AP Photo/ Bullit Marquez

A notícia surge uns dias após Pequim ter expressado suas preocupações com a presença de uma embarcação americana no porto taiwanês de Kaohsiung e apelado para que Washington e Taipé parem todos os contatos militares.

Os Estados Unidos realizaram uma missão semelhante nas águas internacionais do estreito em julho passado e sua repetição poderá ser vista como expressão de apoio por Washington a Taiwan, que a China considera parte de seu território.

As autoridades estadunidenses entrevistadas pela Reuters sob condições de anonimato não especificaram a data exata da operação planejada. O Pentágono, por sua parte, recusou-se a comentar a informação.

Taiwan, situada em um grupo de ilhas a sudoeste da China continental, deixou de fazer parte do Estado chinês em 1949. Embora os contatos comerciais e não-oficiais entre os dois lados tenham sido retomados no final dos anos 80, a China recusa relações diplomáticas com qualquer país que reconheça Taiwan como um Estado.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas