Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

'Temos armas hipersônicas': Rússia dará resposta à saída dos EUA do Tratado INF, diz Putin

A Rússia não deixará a decisão dos Estados Unidos de retirar-se unilateralmente do tratado de armas nucleares sem resposta, garantiu o presidente russo Vladimir Putin, acrescentando que o país não precisa se unir a outra corrida armamentista.
Sputnik

Moscou ainda está pronta para continuar dialogando com Washington sobre o tratado bilateral que proíbe os mísseis de médio alcance, que se tornou uma das pedras angulares do desarmamento nuclear, disse o líder russo em uma reunião do governo em Sochi. Ainda assim, os EUA devem "tratar esta questão com total responsabilidade", disse o presidente, acrescentando que a decisão de Washington de retirar-se do acordo "não pode e não ficará sem resposta".


Estas não são ameaças vazias, advertiu Putin. Ele disse que a Rússia já havia advertido os EUA contra a saída do tratado ABM que regulamenta os sistemas de mísseis e avisou Washington sobre possíveis retaliações. "Agora, temos armas hipersônicas capazes de penetrar qualquer…

Iemenitas fogem pelo Mar Vermelho para escapar da guerra

Milhares de famílias fizeram a perigosa viagem ao Djibuti a partir do Iêmen, onde o governo permite que os refugiados vivam em um acampamento ou na capital.


Pars Today

Desesperados para escapar da guerra no Iêmen, milhares de famílias fizeram a perigosa viagem através do Mar Vermelho até o Djibuti, informou a Al-Jazeera.

Iemenitas fogem pelo Mar Vermelho para escapar da guerra

Isso pode significar mais de 10 horas em um passeio de barco extenuante e agências de ajuda sobrecarregadas não são capazes de oferecer muito apoio àqueles que chegam.

A vida é muito dura no que já é um país muito pobre no Chifre da África, mas os refugiados sentem que não podem ir para casa até que "a situação mude".

A Arábia Saudita e alguns de seus aliados regionais lançaram uma devastadora campanha militar contra o Iêmen em março de 2015, com o objetivo de trazer de volta o governo de Hadi de volta ao poder e esmagar o movimento Houthi Ansarullah do país.

Cerca de 15.000 iemenitas foram mortos e outros milhares ficaram feridos desde o início da agressão liderada pelos sauditas.

Os ataques das forças de coalizão lideradas pela Arábia Saudita não conseguiram impedir que os iemenitas resistissem à agressão. Recentemente, o exército iemenita revelou suas plataformas de lançamento de mísseis subterrâneos caseiros.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas