Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

Na Ala 11, Esquadrão Corsário celebra 50 anos de existência

Esquadrão realiza missões de transporte e, atualmente, opera a maior aeronave da FAB


Agência Força Aérea | DefesaNet


O Esquadrão Corsário (2º/2º GT) celebrou, na quarta-feira (03/10), o seu 50º aniversário de criação. A cerimônia militar, realizada no pátio de formaturas da Ala 11, no Rio de Janeiro (RJ), foi presidida pelo Diretor de Administração do Pessoal da Aeronáutica, Major-Brigadeiro do Ar Mauro Martins Machado, e contou com a presença do Tenente-Brigadeiro da Reserva Marco Aurélio Gonçalves Mendes.

Tenentes Arthur Souza Rodrigues da Costa,  Felipe Bueno e Tenente-Coronel Bruno Pedra

Atualmente, o Corsário opera o maior vetor já voado pela Força Aérea Brasileira (FAB), a aeronave C-767, participando ativamente do processo de interiorização dos imigrantes venezuelanos no Brasil.

O Comandante do Corsário, Tenente-Coronel Aviador Sérgio Heitor Carpinteiro Péres Junior, lembrou de missões em que o Esquadrão esteve envolvido anteriormente, como o apoio às vitimas de um tsunami na Tailândia, o resgate de brasileiros no conflito entre o Líbano e Israel e o transporte das tropas brasileiras no Haiti durante a Missão das Nações Unidas para a Estabilização no Haiti (MINUSTAH).

“Ergamos com orgulho o peito ao envergarmos as cores verde e amarelo de nossa bolacha e o azul do nosso cachecol, pois a Força Aérea e a própria nação sabem o quanto temos feito e, o quanto ainda faremos, em prol de uma moderna aviação de Transporte”, disse.

Durante a solenidade, o Comandante da Ala 11, Brigadeiro do Ar Mozart de Oliveira Farias, fez a entrega das homenagens aos destaques profissionais de 2018, o Sargento Alexander José Abdo de Oliveira (Graduado Padrão) e o Soldado José Luiz Batista Gomes de Freitas (Praça Padrão).

Ainda, ex-Comandantes do Esquadrão foram homenageados, recebendo uma lembrança do atual Comandante.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas