Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

Navio Polar Almirante Maximiano desatraca rumo à Antártica

Suspender acontece no dia 8 de outubro, dando início à OPERANTAR XXXVII


Poder Naval

A Marinha do Brasil, em continuidade às ações que visam a dar suporte ao Programa Antártico Brasileiro (PROANTAR), enviará ao continente antártico, no dia 8 de outubro, o Navio Polar (NPo) “Almirante Maximiano”. O “Tio Max” – como é conhecido por sua tripulação – desatracará do Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro, às 10h. A trigésima sétima Operação Antártica (OPERANTAR XXXVII) contará, ainda, com a atuação do Navio de Apoio Oceanográfico (NApOc) “Ary Rongel”.

Almirante Maximiano - H41
Almirante Maximiano – H41

O NPo “Almirante Maximiano”, sob o comando do Capitão de Mar e Guerra Pedro Augusto Bittencourt Heine Filho, terá como principais tarefas executar os trabalhos de campo a serem desenvolvidos nos refúgios e acampamentos previstos, servir como plataforma para a realização de pesquisas, efetuando lançamentos e recolhimentos de pesquisadores, além de apoiar logisticamente os Módulos Antárticos Emergenciais (MAE) e a reconstrução da Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF). Serão realizados, também, levantamentos hidrográficos, visando à atualização de cartas náuticas sob responsabilidade do Brasil, como membro da Comissão Hidrográfica da Antártica, na Organização Hidrográfica Internacional (OHI). Para auxiliar no cumprimento da missão, serão utilizadas duas aeronaves de emprego geral e um grupo de mergulhadores.

As atividades científicas envolverão especialistas de diversas instituições de ensino e pesquisa do país, que desenvolverão projetos em áreas como oceanografia, biologia, geologia e meteorologia, utilizando como base o Navio e os acampamentos estabelecidos na região. Todo esse trabalho é executado em consonância com o caráter pacífico e ambientalmente responsável que sempre marcaram a presença do Brasil na Antártica.

O porto de Rio Grande, no Rio Grande do Sul, será a primeira escala do “Almirante Maximiano”. No local, será concluído o embarque do material destinado ao reabastecimento dos MAE e serão fornecidas as vestimentas antárticas para os tripulantes e pesquisadores embarcados. Também estão programadas visitas aos portos de Punta Arenas, no Chile, de Ushuaia, na Argentina, e de Montevidéu, no Uruguai. O regresso ao Rio de Janeiro está previsto para abril de 2019.

A OPERANTAR é uma das mais complexas e extensas operações realizadas, regularmente, pela Marinha do Brasil, e envolve um planejamento minucioso, para garantir a presença brasileira no continente antártico. Sua relevância é ainda mais significativa em virtude do papel da Antártica nos sistemas naturais globais, agindo como principal regulador térmico do planeta, controlando as circulações atmosféricas e oceânicas e influenciando o clima e as condições de vida na Terra.

Os órgãos de imprensa interessados em realizar a cobertura do evento devem chegar ao local com, pelo menos, uma hora de antecedência. O credenciamento poderá ser feito previamente, pelos e-mails dhn.comunicacaosocial@marinha.mil.br e comsocdhn@gmail.com ou pelos telefones (21) 2189-3387 e (21) 99669-2068.

SERVIÇO
  • Evento: Suspender do Navio Polar “Almirante Maximiano”
  • Local: Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro
  • Data: Segunda-feira, 8 de outubro de 2018
  • Horário: 10h
  • Endereço: Ilha das Cobras, s/nº, Centro, Rio de Janeiro – RJ
  • Entrada: Gratuita
  • Informações: (21) 2189-3387 ou (21) 99669-2068

Postar um comentário

Postagens mais visitadas