Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA: sanções contra Venezuela servem como 'alerta para atores externos, incluindo Rússia'

Na última terça-feira (17), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, culpou a Rússia e a Venezuela pela crise de refugiados observada no país latino-americano.
Sputnik

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, anunciou nesta quarta-feira (17) que os EUA estão impondo uma nova rodada de sanções contra a Venezuela, acrescentando o banco central do país à lista de restrições. 

Segundo o conselheiro de Segurança Nacional, as sanções recém-aplicadas deveriam se tornar um alerta para "todos os atores externos, inclusive a Rússia".

Desde o início da crise política na Venezuela no início deste ano, os EUA impuseram várias rodadas de sanções, visando os setores petrolífero e bancário do país, bem como indivíduos ligados às autoridades do país.

A Venezuela está sofrendo grave crise política desde janeiro. Junto com outros países ocidentais, os EUA apoiam Juan Guaidó, que se proclamou presidente interino da Venezuela. Ao mesmo tempo, Rússia, China e Turquia, entre outros…

Novo míssil russo Kalibr alcançaria qualquer capital da Europa, relata almirante dos EUA

As capacidades do novo míssil russo Kalibr foram elogiadas pelo comandante da Marinha dos EUA na Europa e África, almirante James Foggo.


Sputnik

"Seis novos submarinos da classe Kilo agora estão operando na região do mar Negro, dois deles estiveram no mar Mediterrâneo e lançaram mísseis Kalibr. O míssil Kalibr é um míssil impressionante. É um míssil de cruzeiro [projetado] para destruir alvos terrestres", disse o comandante americano.

Navios da Frota do mar Cáspio realizam lançamentos de mísseis Kalibr-NK contra infraestruturas do Daesh a partir do mar Cáspio, novembro de 2015
Navios russos lançando mísseis Kalibr contra o Daesh na Síria a partir do Mar Cáspio © Foto : Ministério da Defesa da Rússia

"Se lançado a partir de qualquer um desses mares, incluindo o mar Cáspio, pode alcançar qualquer capital europeia", sublinhou Foggo.

Anteriormente, Foggo havia elogiado a eficácia das forças submarinas russas, afirmando que os investimentos russos permitiram a criação de tais submarinos, contra os quais os EUA se opõem no Atlântico.

"A intensidade da guerra submarina aumentou significativamente […] desde a Guerra Fria. A Marinha Russa continua bombeando rublos [moeda russa] para o setor submarino, e eles têm forças submarinas muito eficazes", ressaltou Foggo, citado pelo serviço de imprensa da 6ª Frota da Marinha dos EUA.

Anteriormente o almirante comunicou à Sputnik que os EUA estão prontos para se defenderem dos navios russos equipados com mísseis de cruzeiro Kalibr no Mediterrâneo.

Em agosto, foi relatado pelo Ministério da Defesa da Rússia que navios e submarinos russos haviam atacado posições de terroristas na Síria com 100 lançamentos de mísseis Kalibr, além de 66 ataques com mísseis de cruzeiros lançados do ar.

O sistema de armas de alta precisão Kalibr inclui uma família de mísseis antinavio 3M-54, mísseis de cruzeiro de baseamento naval para destruir alvos terrestres fixos 3M-14 e mísseis guiados antissubmarino 91R1 e 91RT2.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas