Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA: sanções contra Venezuela servem como 'alerta para atores externos, incluindo Rússia'

Na última terça-feira (17), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, culpou a Rússia e a Venezuela pela crise de refugiados observada no país latino-americano.
Sputnik

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, anunciou nesta quarta-feira (17) que os EUA estão impondo uma nova rodada de sanções contra a Venezuela, acrescentando o banco central do país à lista de restrições. 

Segundo o conselheiro de Segurança Nacional, as sanções recém-aplicadas deveriam se tornar um alerta para "todos os atores externos, inclusive a Rússia".

Desde o início da crise política na Venezuela no início deste ano, os EUA impuseram várias rodadas de sanções, visando os setores petrolífero e bancário do país, bem como indivíduos ligados às autoridades do país.

A Venezuela está sofrendo grave crise política desde janeiro. Junto com outros países ocidentais, os EUA apoiam Juan Guaidó, que se proclamou presidente interino da Venezuela. Ao mesmo tempo, Rússia, China e Turquia, entre outros…

Objetivo de ciberataque da Rússia contra Opaq é minar democracia, acusa Otan

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, acusou nesta segunda-feira a Rússia de ter lançado ataques cibernéticos contra a Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq) como parte de uma série de tentativas de atentar contra a democracia no Ocidente.


EFE

Zagreb - "O exemplo da semana passada é sério, já que faz parte de um padrão. Já vimos antes ataques similares dos russos. A Rússia tem táticas híbridas, incluindo as cibernéticas, para se intrometer nos processos democráticos em uma série de países, entre eles membros da Otan, e para atacar a instituições internacionais", disse o secretário-geral da Otan, após conversar em Zagreb com o primeiro-ministro da Croácia, Andrej Plenkovic, de acordo com a agência de notícias croata "Hina".

EFE/ Koca Sulejmanovic
Secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg | EFE/ Koca Sulejmanovic

Stoltenberg ressaltou que em resposta a essas atividades, a Otan intensificou os trabalhos de inteligência e investiu mais em sua capacidade cibernética, como parte da maior adaptação da Aliança desde a Segunda Guerra Mundial.

Ele disse estar satisfeito com a participação da Croácia nessa adaptação e com o fato de o país, assim como outros Estados-membros, ter se comprometido a destinar 2% do seu PIB à Defesa. O secretário-geral da Otan chegou hoje a Zagreb depois de visitar Belgrado. Amanhã ele irá à Eslovênia.

Nos últimos dias, vários países Ocidentais acusaram a Rússia e sua agência de inteligência militar, GRU, de ataques cibernéticos. Na quinta-feira passada, o governo holandês informou que em abril expulsou quatro agentes do GRU que preparavam um ataque cibernético contra a rede de internet da Opaq, cuja sede fica em Haia.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas