Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Objetivo de ciberataque da Rússia contra Opaq é minar democracia, acusa Otan

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, acusou nesta segunda-feira a Rússia de ter lançado ataques cibernéticos contra a Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq) como parte de uma série de tentativas de atentar contra a democracia no Ocidente.


EFE

Zagreb - "O exemplo da semana passada é sério, já que faz parte de um padrão. Já vimos antes ataques similares dos russos. A Rússia tem táticas híbridas, incluindo as cibernéticas, para se intrometer nos processos democráticos em uma série de países, entre eles membros da Otan, e para atacar a instituições internacionais", disse o secretário-geral da Otan, após conversar em Zagreb com o primeiro-ministro da Croácia, Andrej Plenkovic, de acordo com a agência de notícias croata "Hina".

EFE/ Koca Sulejmanovic
Secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg | EFE/ Koca Sulejmanovic

Stoltenberg ressaltou que em resposta a essas atividades, a Otan intensificou os trabalhos de inteligência e investiu mais em sua capacidade cibernética, como parte da maior adaptação da Aliança desde a Segunda Guerra Mundial.

Ele disse estar satisfeito com a participação da Croácia nessa adaptação e com o fato de o país, assim como outros Estados-membros, ter se comprometido a destinar 2% do seu PIB à Defesa. O secretário-geral da Otan chegou hoje a Zagreb depois de visitar Belgrado. Amanhã ele irá à Eslovênia.

Nos últimos dias, vários países Ocidentais acusaram a Rússia e sua agência de inteligência militar, GRU, de ataques cibernéticos. Na quinta-feira passada, o governo holandês informou que em abril expulsou quatro agentes do GRU que preparavam um ataque cibernético contra a rede de internet da Opaq, cuja sede fica em Haia.

Comentários

Postagens mais visitadas