Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pentágono se diz pronto para admitir ter muitos 'criminosos' nas suas tropas

Depois que uma série de terríveis desastres de relações públicas que expôs soldados de elite dos EUA sendo presos por posse de drogas, abuso, estupro e assassinato, o Pentágono está reprimindo questões disciplinares em seu Comando de Operações Especiais, segundo um novo relatório.
Sputnik

Com "alegações de falta grave" acumulando-se altas demais para serem ignoradas após duas décadas de guerra, o general Raymond "Tony" Thomas, chefe do Comando de Operações Especiais, e Owen West, chefe de Operações Especiais e Conflito de Baixa Intensidade do Pentágono, esboçaram um ambicioso plano de 90 dias para descobrir como o corpo de elite militar se perdeu.


O primeiro de seu tipo, a avaliação profissional pretende "rever e reforçar os padrões éticos e de conduta", segundo documentos adquiridos pelo jornal The Washington Times.

"O primeiro passo em qualquer programa de tratamento é admitir que você tem um problema", disse uma autoridade do Comando de Operações…

Oficiais militares britânicos 'ameaçam' Rússia com seu novo porta-aviões

O novo porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth fez sua primeira viagem rumo aos EUA. Ao mesmo tempo, o exército do Reino Unido está testando decolagens e aterrissagens dos novos caças F-35B a bordo da embarcação.


Sputnik

Alguns militares de alto escalão que se encontram a bordo do navio comentaram as capacidades do HMS Queen Elizabeth e contaram como o maior porta-aviões da Marinha Real Britânica ajudará a neutralizar a "ameaça russa".

Porta-aviões da Marinha Real Britânica HMS Queen Elizabeth
Porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth © REUTERS / Peter Nicholls

Em entrevista ao jornal The Sun, o oficial britânico, Nathan Gray, disse que qualquer um que queira enfrentar o novo navio britânico "deve estar muito, muito preocupado e pensar duas vezes".

Ao mesmo tempo, outro alto oficial a bordo do porta-aviões, Jerry Kyd, afirmou que a Rússia é uma ameaça para o Ocidente.

"O que vemos é uma Rússia renascente que voltou a ser uma ameaça aos Estados ocidentais e ao sistema baseado em regras e isso deve ser levado a sério", afirmou.

Segundo o oficial militar, os porta-aviões permitem que os britânicos "defendam o seu povo em casa" e cumpram as suas obrigações perante tais organizações como a OTAN.

Em resposta à pergunta do jornalista sobre quem ganharia em uma batalha russo-britânica, o contra-almirante Keith Blount expressou confiança na vitória britânica.

No entanto, os especialistas não concordam com o contra-almirante. Analistas apontam que a atual frota militar britânica não poderia conter a Rússia, visto que em serviço da Marinha Real estão só quatro submarinos estratégicos que já hoje devem ser substituídos por modelos mais modernos, mas o governo não alocou orçamento. O HMS Queen Elizabeth é o único porta-aviões britânico. Foi lançado recentemente, deu vazamento de água e teve que retornar ao porto para uma manutenção imprevista.

Enquanto isso, a Rússia afirmou repetidamente que todas as armas desenvolvidas pelo país desempenham tarefas defensivas, visto que a doutrina militar russa prevê só ações de defesa.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas