Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Fuzileiros Navais do Brasil e dos EUA ratificam acordo de cooperação

Diálogo conversou com o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil (MB) Nélio de Almeida para conhecer detalhes dessa parceria
Por Marcos Ommati | Diálogo Américas | Poder Naval

Criar mais oportunidades de intercâmbio de conhecimento e treinamento combinado entre os Fuzileiros Navais do Brasil e dos Estados Unidos. Este é o objetivo principal de um plano de cinco anos ratificado em fevereiro de 2019 entre os representantes de ambas as forças, o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil Nélio de Almeida, comandante do Desenvolvimento Doutrinário do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) do Brasil e presidente nacional da Associação de Veteranos desta força, e o Contra-Almirante Michael F. Fahey III, comandante do Corpo de Fuzileiros Navais Sul dos EUA (MARFORSOUTH, em inglês). O C Alte Nélio recebeu Diálogo em seu escritório na Ilha do Governador, Rio de Janeiro, para dar detalhes do acordo e conversar sobre outros temas de interesse das marinhas do Brasil e de outros países da região e dos E…

Oposição síria aceitará presença militar russa, se esta servir aos interesses do povo

A oposição síria considera possível a presença militar de forças estrangeiras em seu país, desde que não prejudique os interesses do povo, disse à Sputnik o chefe da Comissão de Negociações da Síria, Naser Hariri.


Sputnik

Hariri chegou a Moscou para se reunir nesta sexta-feira com o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov.


Ajuda humanitária da Rússia para a Síria
Ação humanitária da Rússia para a Síria © Sputnik / Mihail Voskresensky

"As forças estrangeiras que desembarcaram recentemente não deveriam estar na Síria, mas respeitaremos todos os documentos e pactos internacionais relativos aos países ligados à Síria e que não prejudiquem o povo sírio", disse Hariri ao responder uma pergunta sobre a presença militar russa em seu país.

Ele ressaltou que a oposição síria não vê nenhum problema nos acordos com a Rússia, desde que atendam aos interesses do povo sírio.

As tropas russas atuam no território do país árabe no âmbito de um acordo bilateral com a Damasco. A Rússia administra a base aérea de Hmeymim, na província de Latakia e o porto de Tartus, para onde pode enviar reforços, se considerar necessário.

Por outro lado, a coalizão internacional liderada pelos EUA, realiza ataques aéreos contra terroristas na Síria desde 2014, sem o consentimento das autoridades do país árabe.

Os EUA possuem uma base militar no sul da cidade de Al Tanaf onde treina "forças aliadas" da oposição armada para "combater o terrorismo".

Rússia, Irã e Turquia também já se manifestaram diversas vezes contra a presença militar dos Estados Unidos na Síria.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas