Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha da Argentina fala sobre localização do submarino ARA San Juan

Embarcação desaparecida há 1 ano foi localizada neste sábado a 907 metros de profundidade. Ainda não há previsão de início dos trabalhos de resgate. 'Não temos meios para resgatar o submarino', diz ministro.
Por G1

A Marinha da Argentina informou neste sábado (17) que o submarino ARA San Juan, que sumiu há 1 ano com 44 tripulantes, foi encontrado a 907 metros de profundidade em uma área de "visibilidade bastante reduzida", e que a embarcação sofreu uma "implosão" no fundo das águas do Oceano Atlântico.

Segundo Enrique Balbi, porta-voz da Marinha, a proa, a popa e a vela se desprenderam do submarino e estão localizadas em uma área de 80 a 100 metros. “Isso sugere que a implosão tenha ocorrido muito perto do fundo”, disse.

Segundo a Marinha, as imagens mostram que o casco do submarino permaneceu bastante intacto, apenas com algumas deformações, e que todas as outras partes se desprenderam. A implosão teria ocorrido em razão da pressão externa do mar ter superado …

Os sequestadores dos guardas de fronteira do Irã recebem resposta firme do IRGC

A tarefa não foi grande e receberá a resposta severa da Guarda Revolucionária Islâmica, disse, nesta quarta-feira o comandante do IRGC na província de Semnan, a oeste de Teerã.


Pars Today

"Os espiões dos inimigos deixaram os guardas da fronteira inconscientes e os seqüestraram", disse o major-general Mohammad-Ali Jafari.

Os sequestadores dos guardas de fronteira do Irã recebem resposta firme do IRGC
Major-general Mohammad-Ali Jafari | Reprodução

"Eles repetidamente tentaram assumir o controle da delegacia de fronteira, mas não prevaleceram", disse o general Jafari.

"Inimigos do Irã liderados pelos EUA, o regime sionista e a Arábia Saudita têm planos e investimentos para alcançar seus objetivos sinistros, e nós frustramos a maioria deles."

Quatorze Basij (forças voluntárias) e forças da guarda de fronteira foram seqüestrados por terroristas na manhã de terça-feira na fronteira do Sistão com o Paquistão.

Após o incidente, o Corpo da Guarda da Revolução Islâmica disse em um comunicado que o Paquistão deve combater terroristas e bandidos que se aninharam ao longo das fronteiras e são apoiados por alguns condados reacionários e terroristas regionais.

Medidas para prender os terroristas e libertar os sequestrados estão no topo da agenda das forças de defesa e segurança implantadas nas áreas de fronteira, disse o comunicado.

Acredita-se que o ato terrorista seja um trabalho interno, acrescentou a declaração do IRGC.

Ataques terroristas são realizados na fronteira entre o Irã e o Paquistão de tempos em tempos.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas