Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Pentágono promete criar armas hipersônicas antes do previsto

Durante uma reunião com um grupo de jornalistas, o subsecretário de Defesa dos EUA Patrick Shanahan informou que os Estados Unidos estão ativamente empenhados no desenvolvimento de armas hipersônicas, que entrarão em serviço mais cedo do que o esperado.


Sputnik

"Vamos começar a voar [lançar mísseis] antes e com mais frequência do que as pessoas esperavam de nós", disse Shanahan a repórteres.


Sede do Pentágono em Washington, EUA
Pentágono © AFP 2018 / STAFF

Ele ainda acrescentou que a abordagem americana para o desenvolvimento de armas hipersônicas será incluída nos futuros orçamentos de defesa.

Atualmente, a Secretaria de Defesa dos EUA está calculando o montante necessário para a realização do projeto.

Segundo havia avisado em setembro o subsecretário de Defesa dos EUA, Michael Griffin, o Pentágono não precisaria de mais de US$ 20 bilhões (R$ 78 bilhões) para desenvolver o referido armamento, semelhante ao que está sendo desenvolvido na China.

O presidente russo, Vladimir Putin, apresentou há alguns meses, em um discurso na Assembleia Federal, algumas das novíssimas armas russas, sem análogos no mundo, tais como o sistema de mísseis Sarmat, drones submarinos, mísseis de cruzeiro, mísseis aéreos hipersônicos Dagger, armas a laser e hipersônicas.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas