Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares revelam como suas vidas foram destruídas pelo Exército dos EUA

O Twitter oficial do Exército dos EUA realizou uma pesquisa para averiguar como o serviço impactou a vida de seus militares.
Sputnik

Atualmente, mais de 9.000 pessoas já compartilharam suas opiniões. Apesar de constatarem que o serviço no Exército fortalece fisicamente e emocionalmente as pessoas, dando algum sentido às suas vidas e abrindo perspectivas profissionais, há muitos outros comentários com declarações céticas e críticas sobre a influência do Exército dos EUA no mundo, no país e na sua vida pessoal.

Várias pessoas compartilharam histórias de seus familiares que cometeram suicídio, sofreram de transtorno por estresse pós-traumático, passaram por mudanças radicais de caráter e comportamento ou deixaram de ser saudáveis depois de participarem em ações militares dos EUA.

Além disso, há aqueles cujos familiares ou eles próprios foram abusados durante o serviço.

Outros usuários recordaram que os horrores da guerra deixam cicatrizes na mente.

Diversos outros usuários da rede social compa…

Rússia seguirá sua doutrina nuclear, mas destruirá qualquer agressor, diz Kremlin

Porta-voz do presidente russo, Dmitry Peskov, explicou a declaração de Vladimir Putin sobre ataque nuclear pronunciada no clube de discussão Valdai em Sochi na semana passada.


Sputnik

Na ocasião o líder russo declarou que a Rússia poderá usar suas armas nucleares só em caso de um ataque de resposta. Ele disse: "O agressor deve saber que a retribuição é inevitável, que será destruído. E nós, vítimas da agressão, iremos ao paraíso como mártires, enquanto eles simplesmente vão morrer, pois nem terão tempo para se arrependerem."


Lançamento do míssil balístico do complexo Iskander-M a partir do polígono de Kapustin Yar, na região russa de Arkhangelsk
Lançamento de míssil balístico russo Iskander-M © Sputnik / Stringer

Segundo o porta-voz de Vladimir Putin, "o discurso não era sobre o paraíso ou sobre quem iria para lá, mas sim sobre, e isso é o importante, que a nível de doutrina a Rússia não se reserva o direito de um ataque preventivo, ou seja, nós não efetuaremos o primeiro ataque. Nós não nos atribuímos o direito de atacar primeiro".

Peskov detalhou em que caso de Moscou se poder decidir pelo ataque nuclear: "Na nossa doutrina está escrito que se, no primeiro caso, o país for atacado com armas nucleares ou, no segundo caso, nosso país for atacado de modo que a existência do nosso Estado seja ameaçada, a Rússia se sentirá no direito de utilizar armas nucleares."

Ele acrescentou que Vladimir Putin disse que a Rússia não vai atacar ninguém primeira.

Vladimir Putin havia comentado, durante o debate realizado pelo Clube Valdai, os conceitos da doutrina nuclear da Rússia. Segundo o presidente russo, a utilização de armamentos nucleares significaria uma catástrofe mundial e Moscou não iria iniciar esse processo, por não considerar a possibilidade de um ataque preventivo.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas