Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

Rússia testa seu arsenal nuclear durante manobras militares (VÍDEOS)

As Forças Armadas da Rússia realizaram na quinta-feira (11) exercícios das forças nucleares estratégicas a pedido do presidente Vladimir Putin. O Ministério da Defesa russo divulgou os vídeos das manobras no YouTube.


Sputnik

Segundo o comunicado da entidade militar, nas manobras participaram a Força Aérea, o Exército e a Marinha, assim como os sistemas de alerta sobre ataques de mísseis. Durante os exercícios, os militares efetuaram testes de mísseis balísticos, mísseis de cruzeiro e mísseis ar-ar a partir do mar de Barents e do mar de Okhotsk.


Bombardeiros estratégicos Tu-95MS Sevastopol, Izborsk e Kaluga durante a parte aérea da Parada da Vitória
Bombardeiros russos Tupolev Tu-95M © Sputnik / Aleksandr Vilf

Os treinamentos contaram com a participação de submarinos, incluindo submarinos nucleares das Frotas do Norte e do Pacífico, bem como de bombardeiros estratégicos da Força Aérea da Rússia Tu-95MS, Tu-160 e Tu-22M.

O ministério sublinhou que o sistema espacial unificado e os radares terrestres detectaram oportunamente todos os lançamentos de mísseis balísticos efetuados a partir de submarinos.

Todas as missões indicadas nas manobras foram cumpridas, concluiu o ministério.







Postar um comentário

Postagens mais visitadas