Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA vão suspender Tratado INF se Rússia não cumprir acordo, diz vice-secretário de Estado

Os EUA vão suspender suas obrigações no Tratado INF, que trata a respeito armas nucleares de médio alcance, no dia 2 de fevereiro se a Rússia não apresentar provas de que está cumprindo o acordo, disse o vice-secretário de Estado.
Sputnik

Em outubro, o presidente dos EUA anunciou que seu país abandonaria o Tratado INF, assinado pelos Estados Unidos e pela União Soviética em 1987.


Trump argumentou que Moscou estava desenvolvendo mísseis que violam esse pacto.

Em 4 de dezembro, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse que Washington suspenderia sua adesão ao INF no prazo de 60 dias se a Rússia não voltasse a cumprir suas obrigações.

No entanto, a Rússia nega categoricamente todas as acusações. O líder russo, Vladimir Putin, declarou que Moscou se opõe à violação do Tratado INF, mas responderá se isso acontecer.

Seul, Pyongyang e Comando da ONU abordam desarmamento de zona de segurança

Coreia do Sul, Coreia do Norte e o Comando das Nações Unidas na Coreia (UNC), liderado pelos Estados Unidos, se reuniram nesta terça-feira pela primeira vez para abordar o desarmamento na Área de Segurança Conjunta (JSA) em cumprimento do recente acordo militar assinado pelos dois países vizinhos.


EFE

Seul - A reunião ocorreu na própria JSA e foi organizada pelo coronel sul-coreano Cho Yong-geun, o coronel norte-coreano Om Chang-nam e o coronel americano Burke Hamilton, secretário do UNC na Comissão do Armistício (que supervisiona o cessar-fogo entre os participantes da Guerra da Coreia), segundo explicou o Ministério de Defesa sul-coreano em comunicado.


Zona desmilitarizada (DMZ) na fronteira das Coreias em foto de julho de 2018. EFE/ Yonhap
Zona desmilitarizada (DMZ) na fronteira das Coreias em foto de julho de 2018. EFE/ Yonhap

Os representantes de Seul e Pyongyang decidiram estabelecer áreas desarmadas na JSA para diminuir a tensão no acordo militar assinado em setembro, o maior pacto de Defesa assinado por ambos os países desde que a península se dividiu, em 1945.

Ambas as partes abordaram medidas "como a retirada de armas de fogo e postos de guarda, a redução de pessoal de guarda e o reajuste das equipes de vigilância", explicou um comunicado, sem mais detalhes.

"Foi decidido proceder com os movimentos para as medidas de desarmamento e verificação mútua através do órgão consultivo trilateral (a Comissão do Armisticio)", acrescenta o texto.

A Coreia do Sul tinha previsto recuar quatro postos de guarda e a Coreia do Norte cinco, enquanto cada país mobilizaria 35 soldados desarmados ao norte e sul da linha de demarcação militar que divide em duas a JSA, segundo a imprensa local.

Como parte da implementação do acordo de setembro, Coreia do Sul e Coreia do Norte iniciaram em 1º de outubro trabalhos conjuntos para retirarem minas da Zona Desmilitarizada (ZDC) que as divide, operações cujos resultados também foram analisados na reunião.

A presença do Comando da ONU na reunião se deve ao fato de que a agência tem jurisdição sobre a JSA, estabelecida após a Guerra da Coreia (1950-1953), que terminou com um armistício assinado pelo exército norte-coreano, China e EUA, em nome do UNC e que nunca foi substituído por um tratado de paz definitivo.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas