Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil simula resgate de civis em área de conflito ou desastre natural (VÍDEO)

A Marinha do Brasil realizou entre os dias 6 e 14 de novembro a Operação Atlântico, na praia de Itaoca, no Espírito Santo. A simulação deste ano treinou os oficiais para casos em que houvesse resgate de civis em uma área de conflito armado ou que foram alvos de desastres naturais.
Sputnik

Era por volta de 5h40 do dia 10 de novembro, um sábado, ainda estava amanhecendo, quando o Almirante Paulo Martinho Zucaro, Comandante da Força de Fuzileiros da Esquadra, olhou e disse para a reportagem da Sputnik Brasil: "É guerra".


A declaração foi dada para explicar os motivos de se realizar um treinamento deste porte mesmo em condições extremamente desfavoráveis. A chuva era forte, as ondas na beira da praia atingiam 1,5 metros e os ventos chegaram a 20 km/h. O nível de dificuldade preocupava o alto comando, mas não foi um problema para os fuzileiros e marinheiros.

Antes do amanhecer, sete Carros Lagarta Anfíbios (CLAnf) chegaram à praia e deram início ao desembarque. Após eles chegarem foi…

Síria: ONU deve investigar ataque da coalizão que matou 62 civis

O ministério das Relações Exteriores da Síria acusou os países da coalizão internacional liderada por os EUA de violar o direito internacional ao bombardear áreas na província de Deir ez-Zor, matando pelo menos 62 civis.


Sputnik

"O crime cometido pela coligação prova mais uma vez que os seus países ignoram o direito internacional e carecem de valores morais", diz a carta do ministério das Relações Exteriores da Síria, enviada ao Secretário-Geral da ONU, informou SANA.


Situação em Deir ez-Zor
Bombardeio a Deir ez-Zor, Síria © Sputnik / Mikhail Alaeddin

A chancelaria síria pediu por uma investigação independente e imparcial do ataque aéreo, bem como a adoção de medidas para que situações semelhantes não se repitam.

"Este crime horrível provou para todos que o objetivo dos EUA nesta operação ilegítima não é lutar contra o terrorismo, mas assassinar o maior número possível de sírios e ignorar por completo os valores humanitários", acrescenta a carta.

A agência de notícias SANA informou neste sábado que os ataques da coalizão contra as aldeias de Al-Sousse e Al-Bubadran mataram 62 civis.

Segundo a agência, os ataques foram realizados nas últimas 24 horas.

A agência destacou que os números da tragédia ainda podem aumentar, pois muitas casas foram destruídas e muitos feridos ainda estão sob os escombros.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas