Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pentágono se diz pronto para admitir ter muitos 'criminosos' nas suas tropas

Depois que uma série de terríveis desastres de relações públicas que expôs soldados de elite dos EUA sendo presos por posse de drogas, abuso, estupro e assassinato, o Pentágono está reprimindo questões disciplinares em seu Comando de Operações Especiais, segundo um novo relatório.
Sputnik

Com "alegações de falta grave" acumulando-se altas demais para serem ignoradas após duas décadas de guerra, o general Raymond "Tony" Thomas, chefe do Comando de Operações Especiais, e Owen West, chefe de Operações Especiais e Conflito de Baixa Intensidade do Pentágono, esboçaram um ambicioso plano de 90 dias para descobrir como o corpo de elite militar se perdeu.


O primeiro de seu tipo, a avaliação profissional pretende "rever e reforçar os padrões éticos e de conduta", segundo documentos adquiridos pelo jornal The Washington Times.

"O primeiro passo em qualquer programa de tratamento é admitir que você tem um problema", disse uma autoridade do Comando de Operações…

Submarinos russos são temidos pela Marinha dos EUA, diz oficial norte-americano

Segundo o Pentágono, a Marinha da Rússia não uma das principais ameaças, contudo, ela representa um grande desafio para Washington e aliados da América na OTAN.


Sputnik

Conforme citado em artigo da revista The National Interest, os submarinos russos seriam capazes de atacar a Europa e até a região continental dos EUA, por possuírem lançadores de mísseis de cruzeiro. Tanto é que o comandante da Marinha dos EUA na Europa, almirante James G. Foggo III, afirmou que "[…] a Rússia me deixa preocupado e vigilante […]" e que uma de suas principais preocupações é a frota de submarinos russos.

K-535 de classe Borei submarino de mísseis balísticos Yuri Dolgorukiy no mar.
Submarino russo da Classe Borei K-535 Yuri Dolgorukiy © Foto : Serviço de emprensa Sevmas

O motivo de tanta preocupação seria o fato de a Rússia continuar seus trabalhos de pesquisa e desenvolvimento na área, produzindo diversos novos pequenos navios e submarinos, possivelmente com foco na Europa e nos EUA, segundo Foggo, enfatizando que os novos submarinos russos, armados com mísseis de cruzeiro de longo alcance Kalibr, podem atingir qualquer alvo na Europa com precisão.

"Os russos criaram o novo submarino da classe Dolgorukiy e construíram o submarino da classe Severodvinsk. Eles lançaram os novos submarinos híbridos de classe Kilo. Seis deles estão operando no mar Negro […]", declarou o almirante, ressaltando que "[…] os submarinos russos poderiam disparar mísseis Kalibr, que seriam capazes de atingir qualquer capital europeia".

Entretanto, o almirante não acredita que a Rússia realizará um ataque sem motivo, mas diz que Washington "[…] deve saber cada movimento dos russos o tempo todo […]". Além disso, ele acredita também que é preciso melhorar o potencial naval, pois atualmente, caso haja um conflito, a "vitória não estaria garantida".

Concluindo, Foggo refere que a preocupação com o desenvolvimento não é apenas em relação a submarinos, mas também de aviões de patrulha, todos os tipos de sensores e da frota de superfície, bem como o treinamento e a capacidade de localizar seus adversários.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas