Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Por que alguns países ocidentais não querem libertação de Idlib?

A libertação de Idlib marcará a vitória total das forças governamentais e o fracasso dos planos de países ocidentais de derrubar as autoridades legítimas sírias.
Sputnik

No entanto, segundo Pierre Le Corf, ativista francês que vive em Aleppo, a tarefa não será fácil. 


"Será muito difícil libertar Idlib, porque todas as forças da coalizão lideradas pelos EUA e governos [ocidentais] envolvidos na guerra até o momento se opõem à libertação da província", disse Le Corf à Sputnik França.

Ele comentou que assim que a província síria de Idlib for libertada, terá que "libertar as zonas ocupadas ilegalmente pelos EUA, França e até pela Itália no norte do país". Por esse motivo, nenhum desses países quer a libertação da província.

Le Corf salientou que a intenção de manter o status atual poderia levar a "um massacre da população civil de Idlib", referindo-se às múltiplas advertências dos militares sírios e russos sobre a possível encenação de ataques químicos com o prop…

Terroristas escavam túneis e atiram em civis no norte da Síria

Militantes da Ásia Central e da Chechênia, que combatem na Síria, estão ativamente fortalecendo suas posições, escavando novas trincheiras e expandindo as passagens subterrâneas.


Sputnik

A informação foi prestada para a Sputnik Árabe por um comandante militar do Exército sírio que serve no norte da província de Latakia. Ele comunicou que os terroristas estrangeiros ignoram a operação militar controlada pela Turquia de retirada de terroristas da Síria.

Soldados do Exército sírio entre os montes protegendo o norte da província síria de Latakia
Soldados do Exército sírio entre os montes protegendo o norte da província síria de Latakia © SPUTNIK / MORAD SAEED

Os membros dos grupos Frente al-Nusra (proibido na Rússia e em vários outros países), da Organização dos Guardiões da Religião e do Partido Islâmico do Turquestão reforçam suas posições perto da aldeia de Kabbani, localizada próxima à fronteira com a província de Idlib, disse uma fonte do Exército sírio.

O militar sírio disse ser preciso esperar um aumento de tensões na área em breve. É evidente que os terroristas, provenientes de diferentes países, não cederão a região, que é estrategicamente importante.

O fato é que o território ocupado pelos militantes faz fronteira com as províncias sírias de Latakia e Idlib, assim como com a Turquia.

Devido à posição geograficamente privilegiada, é possível ter um maior controle das áreas nas proximidades, além de ter uma enorme vantagem sobre as unidades de infantaria do Exército sírio. Além disso, os militantes bombardeiam regularmente assentamentos de civis, obrigando a artilharia do Exército a disparar de volta como resposta.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas