Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Área militar do governo brasileiro demonstra desconforto com suspensão de investigação do caso Queiroz

Integrantes da área militar do governo demostraram desconforto com o pedido de suspensão da investigação para apurar movimentações financeiras de Fabricio Queiroz consideradas "atípicas" pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).
Por Gerson Camarotti | G1

A avaliação de auxiliares do presidente Jair Bolsonaro é que essa decisão tomada pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), só faz prolongar o desgaste provocado pelo caso.

O ministro Luiz Fux atendeu pedido do deputado estadual e senador eleito Flavio Bolsonaro (PSL-RJ), de quem Queiroz foi assessor. O Coaf apontou movimentação de R$ 1,2 milhão em uma conta bancária de Queiroz durante um ano sem que houvesse esclarecimento.

Para esses auxiliares, foi uma surpresa a solicitação feita por Flávio Bolsonaro para suspender as investigações.

“Ainda não há uma explicação convincente. Enquanto isso não acontecer, o desgaste desse caso vai continuar. Já está demorando demais”, comentou ao blog um auxilia…

Venezuela reorganiza Comando Conjunto de Defesa Aeroespacial

A Venezuela completou a reforma da estrutura organizacional das tropas de defesa aérea, criando cinco brigadas após a conclusão de um longo período de compra de armas modernas na Rússia para equipá-las.


Forças Terrestres

O fornecimento de equipamentos e armas permitiu que o Comando Conjunto de Defesa Aeroespacial Integral (CODAI) iniciasse em junho de 2014 a reorganização da estrutura organizacional em cinco brigadas de defesa aérea: 19 (localização de Maracaibo), 29 (El Sombrero), 39 (Caracas), 49 (Barcelona), 59 (Bolívar) e uma brigada de apoio material.

Caças F-16 sobrevoam sistemas de defesa aérea venezuelanos
Caças F-16 sobrevoam sistemas de defesa aérea venezuelanos

Cada brigada inclui dispositivos de detecção e controle de radar, bem como armas de fogo, incluindo artilharia antiaérea e sistemas de mísseis antiaéreos.

No período de 2008 a junho de 2014, as forças armadas venezuelanas receberam até 300 unidades de artilharia antiaérea rebocadas de 23 mm ZU-23/30M1-4, várias centenas de mísseis antiaéreos Igla-S, pelo menos 11 baterias Pechora-2M S-125, 12 SAMs Buk-M2E e três baterias S-300VM Antey-2500.

COLABOROU: Rustam Bogaudinov

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas