Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

General brasileiro em forças dos EUA atrapalha laços com Moscou e Pequim, diz especialista

A decisão do Brasil de enviar um oficial para integrar as Forças Armadas dos Estados Unidos deve atrapalhar as relações do país com importantes aliados, como China e Rússia. A avaliação é do especialista em Relações Internacionais Paulo Velasco, que conversou nesta segunda-feira com a Sputnik sobre esse polêmico assunto.
Sputnik

Na última semana, se tornou pública no Brasil a notícia de que o país indicará, até o final do ano, um general para assumir um posto no Comando Sul (SouthCom) dos EUA, que cobre América Central, Caribe e América do Sul, provocando controvérsias.


De acordo com o comandante responsável, o almirante Craig Faller, os interesses norte-americanos na região seriam ameaçados por Rússia, China, Irã, Venezuela, Cuba e Nicarágua, países com os quais o Brasil poderá ter relações prejudicadas por conta dessa situação, conforme acredita Velasco, professor adjunto de Política Internacional do Departamento de Relações Internacionais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (U…

35 caças americanos F-35 realizam exercício de decolagem simultânea (VÍDEO)

Os exercícios tiveram lugar na Base Aérea de Hill em Utah, envolvendo ao menos 35 aeronaves F-35 Lightning II.


Sputnik

A 388ª e a 419ª Alas de Combate (Fighter Wing) da Força Aérea americana realizaram um exercício de força de combate conhecido como "Elephant Walk", quando um grande grupo caças é alinhado em uma pista e os aviões decolam em um intervalo mínimo.


Pilotos da 388ª e 419ª Ala de Caça se preparam para a decolagem durante exercício de força de combate na Base Aérea de Hill para provar suas habilidades de prontidão e letalidade.

Ao menos 35 aeronaves foram vistas em formação taxiando na pista de decolagem. Segundo o major Caleb Guthmann, comandante-adjunto de operações do 34º Esquadrão de Caças, a Força Aérea estaria realizando o treinamento para estarem prontos a empregar qualquer número de aeronaves se for necessário apoiar uma missão de defesa nacional a qualquer momento.

Além disso, o exercício teria como objetivo demonstrar a prontidão e a letalidade dos caças contra alvos aéreos e terrestres e "demonstrar a capacidade de derrotar os potenciais adversários em qualquer parte do mundo", segundo o portal The Drive.

Durante o exercício, foram feitas entre 30 e 60 decolagens em intervalos de 20 a 40 segundos. O lançamento das aeronaves de forma quase simultânea faz com que sejam avaliadas as capacidades de todos os profissionais envolvidos (técnicos de manutenção, pilotos e equipes de comando e controle).

Segundo a Força Aérea dos EUA, as aeronaves teriam atendido ou ultrapassado os critérios exigidos de "prontidão para combate", após a FA ter declarado possuírem a capacidade operacional inicial em 2016.

Entretanto, ao longo dos mais de 25 anos do programa de desenvolvimento, o novo avião F-35 tem sido protagonista de muitas notícias, muitas delas referentes a falhas técnicas ou ao custo exorbitante do projeto.

O F-35 Lightning II é um caça furtivo de quinta geração, desenvolvido pela Lockheed Martin. Seu programa de desenvolvimento é considerado como o mais caro do mundo, atingindo US$ 1,5 trilhão (aproximadamente R$ 6 trilhões) até 2030.


Comentários

Postagens mais visitadas