Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil simula resgate de civis em área de conflito ou desastre natural (VÍDEO)

A Marinha do Brasil realizou entre os dias 6 e 14 de novembro a Operação Atlântico, na praia de Itaoca, no Espírito Santo. A simulação deste ano treinou os oficiais para casos em que houvesse resgate de civis em uma área de conflito armado ou que foram alvos de desastres naturais.
Sputnik

Era por volta de 5h40 do dia 10 de novembro, um sábado, ainda estava amanhecendo, quando o Almirante Paulo Martinho Zucaro, Comandante da Força de Fuzileiros da Esquadra, olhou e disse para a reportagem da Sputnik Brasil: "É guerra".


A declaração foi dada para explicar os motivos de se realizar um treinamento deste porte mesmo em condições extremamente desfavoráveis. A chuva era forte, as ondas na beira da praia atingiam 1,5 metros e os ventos chegaram a 20 km/h. O nível de dificuldade preocupava o alto comando, mas não foi um problema para os fuzileiros e marinheiros.

Antes do amanhecer, sete Carros Lagarta Anfíbios (CLAnf) chegaram à praia e deram início ao desembarque. Após eles chegarem foi…

A modernização das fragatas OHP da Turquia

Atualmente existem 8 fragatas da classe Oliver Hazard Perry (OHP) em serviço na Turquia. Estas formam a espinha dorsal da Marinha Turca, juntamente com 8 fragatas MEKO 200 de projeto alemão.


Poder Naval

O primeiro lote de três navios da classe OHP foi entregue à Marinha Turca em 12 de janeiro de 1998. O primeiro navio partiu para a Turquia e chegou em março de 1998. Desde então, esses navios receberam uma série de grandes atualizações e mudanças.

TCG Gaziantep navegando ao lado do destróier USS Donald Cook (DDG 75)
TCG Gaziantep navegando ao lado do destróier USS Donald Cook (DDG 75)

Primeiro, esses navios eram a versão de casco curto antes de sua transferência, pois estavam operando helicópteros SH-2 Seasprite no serviço da US Navy. As plataformas de voo foram estendidas e o auxílio de pouso de helicóptero ASIST foi integrado pelo Estaleiro Naval de Istambul, para que esses navios possam operar os helicópteros S-70-B2 Seahawk.

Em segundo lugar, com a implementação do programa de modernização do sistema de gerenciamento de combate GENESIS, esses navios receberam uma capacidade de controle de armas totalmente integrada, com capacidade aprimorada de rastreamento, detecção automática de ameaças e links de dados táticos aprimorados.

Por último, quatro navios desta classe, TCG Giresun F491, TCG Gediz F495, TCG Gökova F496 e TCG Göksu F497, receberam o sistema lançador vertical (VLS) de 8 células Mk41, além do lançador Mk.13 existente e um novo radar Thales SMART-S Mk2 3D no lugar do radar AN/SPS-49 (V) 4. O sistema de controle de tiro Mk92 STIR Mod2 desses quatro navios será atualizado para o nível Mod12.

Desde o seu comissionamento na Marinha Turca, as fragatas da classe “Gabya” se tornaram o cavalo de batalha da força. Todos eles foram enviados pelo menos por um período para o Golfo de Aden para combater a pirataria ao largo da costa da Somália.


IndicativoNomeLançamentoIncorporação
F490GAZİANTEP16 Fevereiro 1980
24 Julho 1998
F491GİRESUN27 Março 1979
24 Julho 1998
F492GEMLİK15 Maio 1980
24 Julho 1998
F493GELİBOLU27 Junho 1981
22 Julho 1999
F494GÖKÇEADA7 Fevereiro 1981
27 Setembro 1999
F495GEDİZ20 Outubro 1979
1 Setembro 2000
F496GÖKOVA4 Dezembro 1978
11 Abril 2002
F497GÖKSU3 Novembro 1979
4 Abril 2003

Modernização do sistema de combate

A segunda fase de modernização das fragatas OHP da Turquia foi o projeto GENESIS. Derivado do nome turco do projeto (Sistema Integrado de Gestão de Combate do Navio – Gemi Entegre Savaş İdare Sistemi), o GENESIS significa, de certo modo, uma segunda vida para as fragatas Perry.

O objetivo deste projeto é atualizar o CIC (Centro de Informações de Combate) dessas fragatas, substituir todos os consoles e displays legados por modernos consoles de operador multifuncionais.

A empresa de software da Turquia, Havelsan, desenvolveu o software de comando e controle. Participações de trabalho no projeto Genesis (todas empresas turcas):

  • 29% Havelsan
  • 25% Ayesas
  • 29% Yaltes
  • 5% Milsoft
  • 12% Vestel
Mais importante, com a implementação do GENESIS, todos os sensores e sistemas de armas existentes dessas fragatas poderão se comunicar uns com os outros. A fragata TCG Gemlik F492 foi o primeiro navio a receber o sistema GENESIS. Ela foi entregue à Marinha Turca em maio de 2007. Logo depois, a TCG Giresun F491 e a TCG Gaziantep F490 também receberam a suíte GENESIS.

A terceira fase da modernização foi a instalação dos módulos táticos MK 41 (VLS) Baseline VII em 4 fragatas de classe Perry. O VLS permite que as fragatas Perry usem o míssil Evolved Sea Sparrow Missile (ESSM) RIM-162. Os sistemas de controle de armas antigos não podiam lidar com o ESSM e precisavam de uma atualização também.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas