Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Lançamento do Submarino Riachuelo – S40 (VIDEO)

Hoje, 14 de dezembro, às 10h da manhã em Itaguaí-RJ, teve início a Cerimônia de Lançamento do Submarino Riachuelo, o primeiro de uma série de quatro submarinos convencionais e um nuclear que estão sendo construídos pela Marinha do Brasil. A cerimônia conta com a presença do Presidente da República.
Poder Naval

O nome do primeiro submarino, “Riachuelo”, é alusivo à Batalha Naval do Riachuelo, considerada decisiva na Guerra do Paraguai, com atuação destacada da Marinha do Brasil.


Acompanhe a Cerimônia em tempo real no vídeo no final deste post.
Prosub

O Brasil tem o mar como uma forte referência em todo o seu desenvolvimento. É nessa área marítima que os brasileiros desenvolvem as atividades pesqueiras, o comércio exterior e a exploração de recursos biológicos e minerais. A imensa riqueza das águas, do leito e do subsolo marinho nesse território justifica seu nome: Amazônia Azul.

A Amazônia Azul cobre uma área de 3,5 milhões de quilômetros quadrados. Mas o país pleiteia na Organização das Naç…

'Ação descarada': Crimeia comenta detenção de 15 navios pela Ucrânia

A política da Ucrânia de detenção dos navios que entram em portos da Crimeia é uma ação descarada e se assemelha a alguém que dá um tiro no próprio pé, declarou Yuri Gempel, chefe do Comitê do Parlamento da Crimeia para as Relações Interétnicas.


Sputnik

Anteriormente, o Serviço de Guarda de Fronteiras da Ucrânia informou que 15 embarcações foram detidas por "entrada ilegal em portos da Crimeia ocupada". Algumas foram apreendidas, em relação a outras decorrem processos judiciais. A entidade acrescentou que os navios estão nos portos de Berdyansk e Mariupol.


Navios ucranianos em Sevastopol, Crimeia, Rússia
Navios ucranianos em Sevastopol © Sputnik / Aleksei Malgavko

Não foi especificado se há navios russos entre eles. Relata-se que 940 embarcações estão sendo observadas pela guarda de fronteira ucraniana: a maioria presta serviço aos portos da Crimeia.

"Essa política ucraniana se assemelha a alguém que dá um tiro no próprio pé. Nesse contexto eles vão deter todas as embarcações estrangeiras, inclusive as suas, porque as relações comerciais com a Crimeia russa começam a aumentar. Com estas ações eles prejudicam sua própria economia e agravam a situação internacional. Acho que deve ser posto fim a tais ações descaradas em relação à Rússia", disse Gempel à Sputnik.

Segundo ele, neste caso é adequado dizer que o inimigo tem que ser combatido com as suas próprias armas.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas