Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA criticam bombardeiros russos na Venezuela: "Nós mandamos navio-hospital"

O coronel Robert Manning, porta-voz do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, criticou com veemência nesta segunda-feira o envio de bombardeiros russos à Venezuela e citou o envio de navio-hospital à região como exemplo do compromisso de Washington com a região.
EFE

Washington - "O enfoque dos EUA sobre a região difere do enfoque da Rússia. No meio da tragédia, a Rússia envia bombardeiros à Venezuela e nós mandamos um navio-hospital", declarou Manning durante uma entrevista coletiva realizada hoje no Pentágono.


O militar se referia com estas palavras ao USNS Comfort, que partiu em meados de outubro rumo à América Central e à América do Sul para oferecer ajuda sanitária aos milhares de refugiados venezuelanos amparados por diversos países da região.

"Enquanto nós oferecemos ajuda humanitária, a Rússia envia bombardeiros", lamentou Manning em referência ao envio uma esquadrilha de aviões russos, incluindo dois bombardeiros estratégicos T-160, capazes de carregar bomb…

Airbus e Dassault preparam proposta de novo caça

A Airbus e a Dassault Aviation da França apresentarão em breve uma proposta de um trabalho conceitual inicial sobre um caça de próxima geração a autoridades alemãs e francesas, segundo fontes familiarizadas com o assunto.


Poder Aéreo

BERLIM – As duas empresas concordaram em princípio, em abril, em trabalhar juntas em um ambicioso programa franco-alemão para projetar um novo avião de combate, mas estão ansiosas para obter financiamento antecipado para que possam começar a trabalhar em novas tecnologias necessárias para o projeto multibilionário. O objetivo é colocar a nova aeronave em operação em torno do ano 2040.

Future Combat Air Systems (FCAS)
Future Combat Air Systems (FCAS)

Alemanha e França assinaram um memorando de entendimento sobre o projeto em abril, mas o progresso tem sido afetado em meio a disputas entre os governos sobre as futuras exportações e entre a indústria sobre como dividir o trabalho em um sistema para integrar o novo jato com drones e outras armas.

Uma fonte familiarizada com o assunto disse que as duas empresas podem apresentar sua proposta até o final do ano ou no início do próximo ano, abrindo caminho para os primeiros contratos no ano que vem.

Um oficial militar francês disse na conferência International Fighter em Berlim nesta semana que os dois governos esperavam concluir um contrato inicial em janeiro.

FONTE: Reuters

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas