Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Ancara: Participação na OTAN não impede que Turquia tenha bons laços com a Rússia

A adesão da Turquia à OTAN não impedirá o desenvolvimento de um bom relacionamento com a Rússia, disse nesta quinta-feira o presidente da Comissão de Relações Exteriores da Grande Assembléia Nacional da Turquia, Volkan Bozkir.


Sputnik

"A Turquia pode ser membro da OTAN. Nunca estivemos interessados em nossas relações estarem na mesma cesta. A Turquia pode ter excelentes relações com a Rússia e o Irã", disse Bozkir em uma reunião conjunta da Comissão de Assuntos Internacionais do Conselho da Federação Russa e da Comissão de Relações Exteriores da Grande Assembleia Nacional da Turquia em Moscou.


Uma bandeira turca tremula em frente à bandeira da OTAN
© AFP 2018 / BENOIT DOPPAGNE / BELGA

O oficial apontou que Ancara "pode desejar" se tornar um observador na Organização de Cooperação de Xangai (SCO), além de se juntar a potenciais blocos econômicos na Ásia Central, juntamente com a Rússia.

"Nós nunca permitiremos que nenhuma das nossas relações seja a causa ou o resultado de qualquer ação hostil", acrescentou Bozkir.

As relações russo-turcas voltaram a se desenvolver em 2016, depois de uma crise de 2015 causada pela derrubada de um jato russo Su-24 por um caça turco F-16 na Síria. A questão foi resolvida com um pedido oficial de desculpas emitido por Ancara a Moscou.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas