Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA: sanções contra Venezuela servem como 'alerta para atores externos, incluindo Rússia'

Na última terça-feira (17), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, culpou a Rússia e a Venezuela pela crise de refugiados observada no país latino-americano.
Sputnik

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, anunciou nesta quarta-feira (17) que os EUA estão impondo uma nova rodada de sanções contra a Venezuela, acrescentando o banco central do país à lista de restrições. 

Segundo o conselheiro de Segurança Nacional, as sanções recém-aplicadas deveriam se tornar um alerta para "todos os atores externos, inclusive a Rússia".

Desde o início da crise política na Venezuela no início deste ano, os EUA impuseram várias rodadas de sanções, visando os setores petrolífero e bancário do país, bem como indivíduos ligados às autoridades do país.

A Venezuela está sofrendo grave crise política desde janeiro. Junto com outros países ocidentais, os EUA apoiam Juan Guaidó, que se proclamou presidente interino da Venezuela. Ao mesmo tempo, Rússia, China e Turquia, entre outros…

Ataque com gás na Síria prova que militantes têm armas químicas, diz governador de Aleppo

O governador da província síria de Aleppo, Hussein Diyab, afirmou que o ataque com gás de cloro no local é a confirmação de que terroristas na Síria têm armas químicas por terroristas.


Sputnik

Neste sábado (24), militantes de grupos terroristas atiraram contra bairros de al-Khalidiye e Al Zahraana província de Aleppo. A menos quatro crianças foram hospitalizadas com asfixia e outros sintomas típicos de envenenamento.


Members of jihadist group Al-Nusra Front take part in a parade calling for the establishment of an Islamic state in Syria, at the Bustan al-Qasr neighborhood of Aleppo, on October 25, 2013.
Terroristas da Frenta al-Nusra na Síria © flickr.com / coolloud

"Os mísseis dos terroristas continham gases venenosos, o que prova que os terroristas possuem armas químicas. O número de vítimas do bombardeio foi de 41 pessoas", disse o governador, conforme citado pela emissora Al Ekhbariya. A declaração foi dada no hospital ar-Razi, onde as vítimas foram hospitalizadas.

Mai tarde, o chefe do Departamento de Saúde da província afirmou que o número de vítimas havia subido para 50.

A cidade de Aleppo foi libertada pelas tropas do governo sírio de grupos terroristas e militantes em 2016, porém continua a ataques dos grupos militantes partindo de posições nos subúrbios da cidade.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas